Continua o impasse no Hospital Nossa Senhora das Graças

O jornal Timoneiro destacou, na edição da última semana, o impasse envolvendo o Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG) e seu futuro. A situação tem sido debatida em reuniões entre a Prefeitura de Canoas, Ministério Público (MP), Sindicatos e a Sociedade Sulina Divina Providência, que ainda não definiu se prestará consultoria na gestão do HNSG.

Reaproximação

Em reunião com membros da Divina na última sexta-feira, 1º, o prefeito Luiz Carlos Busato (PTB) se propôs a intermediar o diálogo com a Associação Beneficente de Canoas (ABC), mantenedora do hospital. Um impasse entre as direções das duas instituições é o que teria esfriado as negociações.

No encontro, Busato afirma que conseguiu reabrir a porta de diálogo com a direção da Divina Providência. Durante a conversa, a direção da Sociedade Sulina explicitou as condições sob as quais se propõe a participar do processo de recuperação do hospital – o que inclui o trabalho de consultoria com autonomia e sem aporte financeiro.

“Mesmo o Graças sendo uma instituição privada, queremos evitar o fechamento e proporcionar ao hospital um choque de gestão que o torne um local de referência em atendimento médico. Não vemos outra solução para o hospital a não ser aceitar a contribuição de uma entidade com reputação e histórico de boa gestão”, afirma o prefeito.

Representando a Sociedade Sulina Divina Providência, participaram da reunião a presidente Irmã Clair Teresinha Agnes, o diretor de Propósito e Desenvolvimento Mario Neto, e o diretor de Operações José Clóvis Soares.

A Prefeitura, em nota, afirma que está aguardando a posição da ABC, que estuda as propostas de consultoria para qualificação da gestão do Hospital Nossa Senhora das Graças. O Município recebeu na última quinta-feira, 7, representantes do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), que também esperam pela definição da ABC.

Repasse

A Prefeitura ainda afirma que realizou, na sexta-feira, 1º, um novo adiantamento, no valor de R$ 400 mil para auxiliar o Hospital Nossa Senhora das Graças em suas necessidades emergenciais. Já no dia 7, foram repassados outros R$ 4 milhões para que a instituição faça o pagamento de salários.

ABC e Divina

A reportagem tentou contato com as duas entidades, mas estas preferiram não se manifestar sobre o assunto.