Conecte-se conosco

header-top



 




 

20/05/2024
 

Saúde

Justiça do Trabalho retira bloqueio de conta do Hospital Universitário

Redação

Publicado

em

A conta corrente do Hospital Universitário de Canoas (HU) foi desbloqueada. Isso ocorre após decisão da Vara do Trabalho de Colatina, do Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região, no Espírito Santo. O despacho, publicado no final da tarde da quinta-feira, 14, foi comunicado pela Intervenção do HU pela Prefeitura de Canoas.

O bloqueio da conta da instituição de saúde ocorria desde o dia 19 de fevereiro. O entrave resultava de problemas relacionados à antiga gestora do hospital, a Fundação Educacional Alto Médio São Francisco (Funam), que se tornou ré em uma ação trabalhista no Espírito Santo. Desde maio de 2022, a Prefeitura opera a gestão do HU enquanto faz nova licitação para a seleção de empresa gestora.

“Com a retirada do bloqueio, acontecerá a devolução de cerca de 1,2 milhão retido aos cofres” explica o secretário da Fazenda de Canoas, Luis Davi Vicensi. A Procuradoria Geral do Município trabalhou nos esforços para liberar a conta e, assim, restabelecer os fluxos financeiros do hospital.

Crise financeira foi anunciada em fevereiro

No dia 27 de fevereiro, o prefeito em exercício de Canoas, Nedy de Vargas Marques, ao lado do secretário da Fazenda, Luis Davi Vicensi Siqueira, do secretário Municipal de Saúde, Jurandir Maciel e dos diretores dos três hospitais de Canoas, apresentou os números referentes que indicavam uma crise nas contas públicas da Prefeitura. O encontro aconteceu no Paço Municipal.
Com dados apurados até o dia 20 de fevereiro, o levantamento prévio do economista e responsável pela pasta da Fazenda apontou um déficit financeiro passou de R$ 154,5 milhões para R$ 421,9 milhões, de 2022 para 2023.

Números apresentados

O déficit orçamentário (receitas menos despesas) previsto no Município é de R$ 499,7 milhões. Ou seja, a Prefeitura pode chegar, ao final de 2024, com o caixa no vermelho em quase R$ 1 bilhão.

Entre os dados levantados pelo estudo financeiro estão possíveis reflexos em índices constitucionais da Saúde e da Educação. No exercício de 2023, Canoas aplicou 23,32% em saúde, ultrapassando o mínimo de 15% exigido por lei. Já na Educação, um dos pilares de toda e qualquer administração, o percentual de investimento foi 16,73%, enquanto o mínimo exigido era de 25%.

Enchente 2024 Canoas

Estado discute reposição de equipamentos para o HPS de Canoas

Redação

Publicado

em

A Secretaria Estadual da Saúde já discute como reequipar o Hospital de Pronto-Socorro de Canoas (HPSC), alagado durante a enchente das últimas semanas. A titular da pasta, Arita Bergmann, visitou o município no sábado, 18.

A secretária destacou que o governo já conta com um levantamento dos equipamentos perdidos, que poderão ser substituídos por meio de doações de hospitais de outros estados para a rede de saúde do Rio Grande do Sul.

“Precisamos também de um projeto de reforma. Ainda não sabemos se o hospital vai ficar no mesmo lugar ou mudar. Isso vai levar um tempo para ser estruturado, mas já pensamos em possibilidades para garantir os equipamentos”, explicou.

Em reunião com o secretário municipal de Saúde, Mauro Sparta, Arita também discutiu a possibilidade de reequipar o Hospital Universitário, na Ulbra, onde esteve durante a visita. Na passagem por Canoas, ela ainda conheceu o hospital de campanha montado na Ulbra para atender a população, principalmente os afetados pelas enchentes.

Instalado no último dia 5, o hospital é responsável pelo atendimento diário de 200 pessoas em regime de 24 horas por dia. A equipe é de 65 profissionais – incluindo clínicos gerais, pediatras, emergencistas e os funcionários da enfermagem, entre outros.

“O atendimento é para todo o município de Canoas, então temos a equipe volante que passa nos abrigos, expandindo o trabalho do hospital de campanha”, explicou a coordenadora da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), Juliana Lima de Araújo.

De acordo com a secretária estadual, o primeiro desafio em uma situação de emergência é salvar vidas. “Agora, estamos em um segundo momento, de começarmos a ver o que é possível fazer para restabelecer o funcionamento da rede de saúde e o que podemos programar para o futuro.”

Continuar a ler

ENCHENTE RS

População em abrigos no RS será imunizada contra a gripe

Redação

Publicado

em

Todas as pessoas com mais de 6 meses de idade que foram para abrigos por conta das enchentes no Rio Grande do Sul serão imunizadas contra a gripe. Ao menos essa é a meta do governo estadual, que já está vacinando a população desses locais.

O Palácio Piratini afirmou, em nota, que o plano de imunização contra a influenza seja aplicado até a próxima segunda-feira, 20. O governo ainda afirma que uma nota técnica do Ministério da Saúde vai orientar sobre outras ações de vacinação no Estado, incluindo esquemas contra hepatite A, tétano e raiva humana em áreas atingidas pelas enchentes.

Em nota oficial, o governo estadual informou que está sendo feito um levantamento sobre o assunto. A intenção é de que os municípios que necessitam de doses de vacina contra influenza recebam os imunizantes a partir do fluxo logístico da Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos.

Campanha

A campanha de vacinação contra a gripe no Rio Grande do Sul começou em março. À época, foi direcionada somente para grupos prioritários. No começo de maio, já em meio às enchentes, a campanha foi ampliada para a população em geral com as doses remanescentes.

Foram vacinados até o momento 38% do público prioritário, composto por gestantes, puérperas, idosos, crianças e povos indígenas. Ao todo, já foram aplicadas mais de 1,8 milhão de doses contra a doença.

Prevenção

Ambientes fechados e com aglomeração de pessoas são propícios ao aparecimento de doenças infecciosas respiratórias. Confira algumas medidas de prevenção:

  • Proteger a boca e o nariz ao tossir e ao espirrar com um lenço de papel (na falta de um lenço, a recomendação é usar a dobra interna do cotovelo);
  • Evitar tocar olhos, nariz ou boca com as mãos após contato com superfícies;
  • Fazer a higiene das mãos com água e sabão (caso não disponíveis, pode ser utilizado álcool em gel e, nesse caso, deixar as mãos secarem naturalmente) após tossir ou espirrar e antes de tocar olhos, boca e nariz.
Continuar a ler

Enchente 2024 Canoas

Hospital de campanha da Força Aérea é aberto junto ao Gracinha

Redação

Publicado

em

Canoas ganhou o reforço de um hospital de campanha da Força Aérea Brasileira (FAB). Instalada ao lado do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), no bairro Marechal Rondon, a estrutura começou a funcionar na manhã deste sábado, 11.

Os atendimentos ocorrerão entre 8h e 18h, todos os dias. O HNSG seguirá absorvendo as demandas fora desse horário.

Os pacientes que chegam à instituição de saúde passam por uma triagem antes de receberem atendimento com os profissionais. O hospital veio com um efetivo de 48 militares. O objetivo é prestar assistência, principalmente em casos de menor gravidade. “Nós vamos trabalhar em parceria e disponibilizamos de médicos clínicos, ortopedista, pediatria, ginecologia, obstetrícia, psicólogo e psiquiatra”, explica o major da FAB João Luiz Henrique da Silveira.

A estrutura conta com leitos de estabilização, sala cirúrgica para procedimentos de baixa complexidade, 8 leitos de observação e medicação, raio x e laboratórios de análises clínicas.

De acordo com o superintendente do HNSG, Leandro Gomes dos Santos, o reforço é importante porque Canoas perdeu diversos equipamentos de saúde em razão das fortes chuvas no município. “Foram perdidos 19 unidades básicas de saúde e o serviço do Hospital de Pronto Socorro (HPS), que é o grande hospital da emergência da cidade. Com isso, o Hospital Nossa Senhora das Graças recebeu todas as urgências e teve uma sobrecarga de serviços. O hospital de campanha vem para ajudar a desafogar essa nossa demanda”, explica.

Continuar a ler
publicidade

Destaques

Copyright © 2023 Jornal Timoneiro. Developed By Develcomm