Conecte-se conosco

header-top

enchentes rio grande do sul
 







 

29/05/2024
 

Canal OtPlay

Felipe Camozzato (Novo) visita OT e destaca projetos que vem trabalhando

Redação

Publicado

em

Felipe Camozzato (Novo) visita OT e destaca projetos que vem trabalhando/O Timoneiro

Em conversa com o jornalista Vanderlei Dutra Filho, o deputado estadual Felipe Camozzato (Novo) falou sobre alguns projetos que seu mandato tem trabalhado no momento e seu olhar sobre o empreendedorismo na região.

Questionado, inicialmente, sobre sua ligação com a cidade de Canoas e os votos que recebeu na região, Felipe destacou os mais de dez anos como comerciante no município.

Camozzato – “Canoas é uma cidade relevante, tem um perfil empreendedor muito forte. Um pouco disso explica votação expressiva dos canoenses no partido Novo. A sigla tem uma visão voltada para o desenvolvimento econômico. Nesse sentido, não apenas em Canoas, mas aqui na região metropolitana, temos uma concentração populacional muito relevante, com indústrias, um eixo logístico fundamental para o estado do Rio Grande do Sul, e temos gargalos muito importantes que buscamos trabalhar enquanto Assembleia Legislativa, que vão desde o tributário, mas especialmente nos investimentos de infraestrutura e no desenvolvimento e de produtividade”.


O deputado comentou a intenção de compra de carros de luxos por parte do Tribunal de Justiça do RS.

Camozzato – “O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul fez um edital fazendo uma aquisição de carros de luxo, estimados em R$ 358 mil, com justificativa de que precisavam renovar a frota dos veículos dos magistrados. Então eu fiz um questionamento para o Ministério Público. Pois, isto configura uma violação do princípio legal que veda a compra de artigos de luxo pelo Poder Público. O segundo ponto é que trata de uma imoralidade, porque esbanja recurso público. Num Estado que falta recurso para uma Brigada Militar mais bem equipada, por exemplo… Essa representação visou apontar uma revisão disso. Então, a juíza da 4ª Vara da Fazenda Estadual determinou a suspensão da compra alguns dias atrás. Acho que temos o dever de dar o exemplo, principalmente o Judiciário. Eu tenho visitado os hospitais, e é uma tristeza, os locais em situação de quase falência, dependendo de emendas parlamentares para cumprir a folha de pagamento de funcionários.” 

PEC das Ferrovias

Camozzato“É uma PEC que apresentamos na Assembleia (Legislativa) com intuito de que o Rio Grande do Sul possa receber investimentos privados para implementação de ferrovias, para aumentar a nossa competitividade. A via rodoviária é mais cara… é preciso que tenhamos mais modais. Esta PEC foi assinada por 29 deputados estaduais, de diferentes partidos. Pretendemos votar ainda neste ano, o mais breve possível. Pois temos o exemplo de outros estados que já estão fazendo estas obras e investimentos já na casa dos bilhões de reais”.

Como funciona?

Camozzato: “Para poder pegar a rodovia, precisamos de conceção. Se quisermos ter um aumento da operação da malha, precisamos de mais editais. Este é um modelo muito amarrado, burocrático. Então, esta nova alternativa permite que além da conceção, possa haver uma autorização, que é dado pelo estado, para operadores privados. Quem tiver esta autorização vira proprietário. O que altera na legislação é que será incluída na constituição estadual um modelo autorização. Digamos que um empreendedor queira fazer uma linha ferroviária mais moderna do que a linha federal atual, daí ela vai negociar todos os direitos de passagem, eventualmente pagar locações, então ele passa a ter mais liberdade para fazer esta execução. Isto tem apresentado bons frutos nos outros estados”.

 Pra finalizar, o que é e como funciona o Tudo Fácil Empresas?

Camozzato: – Nós abraçamos este programa estadual para ajudar a levar ele a mais municípios. Em Canoas está em fase de implementação ainda. Trata-se de uma ferramenta, que vem da parceria do Governo do Estado, Sebrae e demais conselheiros, para chegar no entendimento do benefício público. Ele pretende centralizar a base de dados das empresas e digitalizá-las. Significa dizer que hoje para ter o licenciamento para abrir uma empresa de baixo risco – como uma academia, salão de beleza, um pequeno comércio -, não precisaria mais esperar meses para ter um alvará. No site, o interessado preencheria qual a sua atividade e até em dez minutos ele tem o seu CNPJ. Uma revolução do ponto de vista da burocracia. Imagina estas mais de 700 atividades econômicas, em um município como Canoas, o que representa cerca de 80% dos alvarás da cidade… Mas, para isto, os municípios precisam aderir ao programa, para compor um banco de dados integrado. O que deve levar uns dez meses. Hoje são mais de cem municípios em processo de implantação, 31 já aderiram, e esperamos que as 497 cidades gaúchas também. Seria uma grande conquista política para a gestão municipal, pois resolve a vida dos empreendedores da cidade, gerando empregos, o que retorna em IPTU e outros impostos; eu só vejo vantagens”.

Confira o vídeo na íntegra abaixo:

Canal OtPlay

PREFEITURA RESPONDE: Diretor-geral tira dúvidas dos canoenses e explica situação atual do Hospital Universitário

Redação

Publicado

em

O quarto episódio do podcast Prefeitura Responde foi ao ar no começo da tarde da sexta-feira, 15, no otPlayTV, canal de streaming do Grupo O Timoneiro. No episódio, o jornalista Vanderlei Dutra recebeu o Dr. Paulo Nader, diretor-geral do Hospital Universitário de Canoas, para falar sobre a situação atual da casa de saúde.

O pediatra lembrou de sua história dentro do HU, tendo atuado desde o começo do projeto na cidade. Assumiu o hospital no final de dezembro de 2023, acredita que, desde que foi chamado para assumir o cargo, já foi possível fazer um diagnóstico em uma série de situações enviolvendo a instituição. “Passamos um pente fino em várias coisas. Em janeiro, fomos ver o que tínhamos para gerir”, declarou.

Segundo o Dr. Nader, durante o ano de 2023, as dívidas foram de R$ 20 milhões à casa dos R$ 50 milhões. Ele classificou que sua gestão tem o papel de tentar resolver essa situação. “Existem contas que não estavam sendo pagas. Há também o Programa Assistir, que diminuiu o repasse estadual, mas não foi só isso”, apontou.

Saídas e renegociações

Uma das saídas, segundo o gestor, é a de buscar convênios para aumentar as receitas. “Hoje, somos tripartite, com recursos do município, do Estado e da União. Estamos com 350 leitos, todos do SUS. Precisamos arranjar mais fontes de renda”, disse.

Na folha de pagamento, Paulo Nader cortou 40 cargos próximos do nível da direção, o que gerou uma economia de R$ 340 mil mensais. “Faltam 130 profissionais na assistência. Poderemos contratar mais técnicos, enfermeiros e alguns médicos”, explicou.

O médico ainda falou sobre a importância de discutir os parâmetros do Programa Assistir junto ao governo estadual. A iniciativa do governo do RS redistribui recursos entre hospitais de diversas regiões, o que diminuiu os repasses ao HU, além de estabelecer metas de entrega de serviços como cirurgias, mesmo para instituições como o Hospital Universitário. “Hoje, apenas para as esferas estadual e federal, nós dedicamos mais da metade da nossa capacidade.” Nader reconheceu inclusive que essas necessidades do SUS dificultam um atendimento mais prioritário aos canoenses, já que a casa de saúde é colocada como referência para mais de cem cidades pelo governo estadual.

Continuar a ler

Canal OtPlay

PREFEITURA RESPONDE: Secretário explica como funciona Mutirão da Limpeza e tira dúvidas ao vivo

Redação

Publicado

em

O terceiro episódio do podcast Prefeitura Responde foi ao ar no começo da tarde dessa segunda-feira, 11, no otPlayTV, canal de streaming do Grupo O Timoneiro. Nesta edição, o jornalista Vanderlei Dutra recebeu Márcio Bittencourt, Secretário Especial do Gabinete do Prefeito e coordenador do Mutirão de Limpeza, para falar sobre limpeza urbana.

A principal dúvida enviada ao programa pelos canoenses foi sobre os prazos para a retirada de lixo nas ruas da cidade, junto com galhos e outros resíduos consequentes do temporal de 16 de janeiro. Um dos bairros mais citados foi o Estância Velha, que teve muitas ruas afetadas, mas já conta com ações do Mutirão de Limpeza, iniciativa do governo municipal que tem o objetivo de passar por todas as ruas de cada bairro para eliminar os acúmulos de resíduos. “Começamos pelo quadrante que atende o Estância. Até esta terça-feira, 12, já devemos terminar essa parte do serviço”, afirmou Márcio.

Segundo o secretário, depois que as equipes de limpeza terminarem um bairro, as equipes de roçadas vão passar na sequência para contribuir com uma cidade mais limpa. Além do Estância Velha, a Niterói também já está em fase final da passagem das equipes pelas ruas. Em duas semanas, o Mutirão de Limpeza já recolheu mais de 7 mil toneladas de resíduos, com 960 cargas nos caminhões da prefeitura.

Márcio Bittencourt explicou que são dois quadrantes trabalhados por vez pelas dez equipes de recolhimento de resíduos, sendo cinco no quadrante Sudeste, entre os bairros Niterói e Nossa Senhora das Graças, e cinco no Nordeste, que abrange Estância Velha, Olaria, Guajuviras, Igara, São José e Parque Universitário. No Sudeste, a ação vai até 18 de março. No Nordeste, até 6 de abril.

Moradores de ruas como a Rio de Janeiro, no bairro Mathias Velho, reclamaram da demora para que o mutirão chegue até o entorno de suas residências. O quadrante Noroeste, onde fica a Mathias, será um dos focos da atuação das equipes, mas somente a partir de 2 de abril. “Se fosse como era o Choque de Limpeza, onde a gente tinha cinco dias para fazer um bairro, a gente teria feito no máximo umas dez ruas. No Mutirão a gente consegue fazer o bairro todo, mas isso demora mais tempo”, explicou Márcio Bittencourt.

Na região Noroeste, o secretário ainda afirmou que, ao chegar ao quadrante, todas as equipes serão deslocadas para trabalhar ao mesmo tempo lá, de forma a cobrir a maior área no menor tempo possível.

A região Sudoeste, que engloba bairros como Mato Grande, Fátima e Rio Branco, deve ser a última a ver o começo dos trabalhos, em 18 de abril.

Ecopontos e CAC

O secretário recomendou que, para os casos mais urgentes, é possível que moradores peçam os serviços das subprefeituras pelo Central de Atendimento ao Cidadão (CAC). Além da sede física do órgão, na Rua Ipiranga, nº 120, há também os telefones 3236-1088 ou 0800 5101234, e as redes sociais da Prefeitura de Canoas. “Mesmo com o nosso trabalho atual, as subprefeituras podem e devem ser acionadas”, disse.

Márcio também lembrou que esse acúmulo de resíduos nas ruas é um problema histórico em vários bairros, agravado pelo temporal de 16 de janeiro. “Por isso que fizemos essa ação dessa forma. Queremos zerar os bairros, não apenas abordar algumas ruas”, apontou.

Ele ainda frisou que é necessário que os canoenses denunciem os descartes irregulares de lixo em via pública. “Lixo chama lixo. Se você botar uma cadeira na frente da sua casa, pode ter certeza que, em uns dois ou três dias, vai ter uma cadeira, uma mesa e um sofá”, lamentou. Segundo Márcio, a prefeitura precisa da ajuda dos canoenses para minimizar o problema, levando os descartes pessoais aos cinco Ecopontos e fazendo denúncias à Guarda Municipal.

Seguem os endereços dos Ecopontos:

  • Igara – Avenida Esperança, nº 1346
  • Mathias Velho – Rua Espumoso, nº 315
  • Niterói – Rua Paulo Fonteles, nº 1560
  • Rio Branco – Rua Hermes da Fonseca, nº 1770
  • Guajuviras – Estrada do Nazário, no acesso ao aterro sanitário

Assista ao episódio completo:

Continuar a ler

Canal OtPlay

Canoenses tiram dúvidas e expõem preocupações sobre a epidemia de dengue

Redação

Publicado

em

A segunda edição do programa Prefeitura Responde foi ao ar na tarde de segunda-feira, 4, no canal otPlayTV, a plataforma de streaming do Grupo O Timoneiro. Desta vez, o jornalista Vanderlei Dutra conversou com o secretário de Saúde de Canoas, Jurandir Maciel. O tema foi o surto de dengue em Canoas, parte de uma epidemia que atinge todo o Estado, e as estratégias do poder público para mitigar a situação.

O titular da pasta explicou que o maior número de casos registrados no bairro Estância Velha não é um acaso. “Nós encontramos três poços abertos, um deles com larvas. Já lacramos todos, mas temos bem claro que ali começou o foco”, apontou.

Jurandir também lembrou que muitos ligam o desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti com áreas socialmente mais vulneráveis. Entretanto, ele acredita não ser o caso. “O mosquito é seletivo. Ele gosta de água limpa, sem sujeira.”

Apesar da situação no Estância Velha, o secretário garantiu que a pasta vem fazendo o possível para que os números subam menos. “Não há risco de cancelar as aulas nas escolas nem nada. E não temos dengue hemorrágica no município, a população pode ficar tranquila quanto a isso”, disse.

Sucateamento

Jurandir também foi questionado sobre a situação do Hospital Universitário (HU). Na última semana, ocorreu o bloqueio de contas da instituição. “Isto ocorreu porque, antigamente, se contratava empresas para fazer apenas a gestão, e péssima gestão. Isso causou o sucateamento dos equipamentos e um grande passivo trabalhista”, falou.

Continuar a ler
publicidade

Destaques

Copyright © 2023 Jornal Timoneiro. Developed By Develcomm

Canoas unida

Prefeitura de Canoas Adverte


Isso vai fechar em 5 segundos