14° edição do Baile de Debutantes Comunitário é realizada em Canoas

Graziele Albuquerque

Uma noite que tocou o coração e emocionou as mais de 350 pessoas que estiveram presentes na sede da Liga Canoense de Futebol, onde aconteceu a 14° edição da Noite dos Sonhos, promovida pela Rede Nós Voluntários. Desde 2005, o Baile de Debutantes Comunitário tem como principal objetivo proporcionar uma “noite dos sonhos” às adolescentes de organizações sociais que compõem a Rede. Neste ano foram 12 meninas, de seis entidades diferentes, que puderam viver este dia mágico.
O projeto começou em março, e os parceiros e voluntários ofereceram palestras educativas, oficinas, passeios e transportes para todos os eventos, inclusive para o baile. As debutantes tiveram um dia de princesas, e receberam vestido, sapato, anel, maquiagem, cabeleireiro e manicure para estarem radiantes durante a festa.

Diversas empresas, profissionais e voluntários colaboraram para a realização do projeto. Uns dos voluntários, o vereador Gilson Oliveira (PP) falou que há mais de seis anos participa do projeto com palestras sobre conscientização contra as drogas. “É uma questão social que tenho honra de participar. É o sonho de toda a menina debutar e a Parceiros, juntamente com os apoiadores, realiza essa noite linda. Acredito que, para nós, compartilhar destes momentos como ser humano é gratificante, e dentro de uma forma mínima contribuir para a alegria dos nossos semelhantes”, concluiu o parlamentar. Além dos diversos apoiadores e lojas que ajudaram a vestir e a produzir das meninas, foram entregues presentes diversos antes e também no dia da festa, a exemplo do grupo “Somos a Diferença”, que através de Semara Vidal e mais 30 voluntários, doaram presentes para as debutantes durante a festa.
As adolescentes foram apresentadas ao público, em um momento mágico que levou os presentes e elas mesmas às lágrimas. “Não teve como eu não chorar, eu fiquei nervosa, e quando desci do palco vi a minha família e não me segurei. Fazia anos que eu não via minha irmã, não esperava que eles viessem à festa”, concluiu umas das 12 meninas.