Prefeitura já gastou R$ 54 milhões com o aeromóvel

aeromovel06Segundo a Prefeitura de Canoas já foram gastos R$ 54.856.102,42 no projeto de implantação do Aeromovel de Canoas. O superintendente da Metroplan, Pedro Bisch Neto, questionou na segunda-feira, 5, a implantação do sistema já que, segundo ele, a Prefeitura não respondeu às solicitações técnicas, feitas no dia 25 de julho deste ano. A Metroplan informou que “está impossibilitada de aprovar o projeto de implantação”.

Isso, segundo Neto, não permite a avaliação do projeto de implantação do modal tipo aeromóvel, bem como o impacto nas linhas que compõem o Sistema Estadual de Transporte Metropolitano (SETM). Para a análise e aprovação, informou o órgão, seriam necessários os estudos e planejamento da viabilidade econômica e financeira, além do projeto de integração operacional e tarifária do Aeromóvel com o sistema existente, metrô e rodoviário.

Obras irregulares

Luiz Carlos Busato (PTB), prefeito eleito de Canoas, afirmou que as obras do aeromóvel estão irregulares. Em nota enviada por sua assessoria, diz que já havia denunciado tais pontos. “Antes mesmo da campanha nós alertamos a população sobre inúmeros problemas em relação à implantação do aeromóvel. Além do mau negócio, com o empréstimo feito pela Prefeitura de R$ 272 milhões, que vão se tornar R$ 638 milhões para o canoense pagar ao longo de 30 anos para implantação de apenas 4,5 km, alertamos também da necessidade da autorização para essa integração, o que finalmente a Metroplan se pronuncia. Além da Metroplan também precisa ter autorização ambiental, pois até hoje só existe a Licença de Instalação, ou seja, as obras estão irregulares”, disse.

O que diz a Prefeitura

Questionada, a Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade (SMTM) lançou nota informando que “não há desconformidade com a solicitação da Metroplan. Como o Município está preparando o edital para concessão do serviço público de transporte coletivo no sistema aeromóvel e em ônibus, foi aberta uma consulta pública. Somente a partir da sistematização das sugestões da comunidade nesta consulta (encerrada no último dia 5) e a publicação do edital, as informações poderão ser prestadas”. Segundo o órgão, o projeto foi apresentado ao superintendente em setembro deste ano.
A SMTM disse que dará sequência mesmo com as negativas, “pois o projeto é do transporte dentro do Município de Canoas, portanto, da responsabilidade municipal”. A Prefeitura não se manifestará sobre a paralisação do projeto.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here