Conecte-se conosco

header-top






 

15/07/2024
 

Cultura

O que esperar dos desfiles do grupo especial do Rio?

Redação

Publicado

em

Por Daniela Uequed e Douglas Angeli 

Quem acompanha os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro pela televisão, redes sociais ou no sambódromo certamente já tem suas favoritas ao título de campeã do carnaval, seja pela torcida ou pelo samba. Antes das 12 escolas desfilarem, tudo pode acontecer: desfiles que surpreendem e favoritas que não correspondem à expectativa. Ainda assim, considerando os enredos, estrutura e preparação de cada escola, é possível fazer alguns prognósticos.

São noves quesitos de julgamento, cujas notas serão divulgadas na quarta-feira de cinzas: enredo, samba-enredo, bateria, harmonia, evolução, mestre-sala e porta-bandeira, fantasias, alegorias e comissão de frente.

Os desfiles ocorrem no domingo e na segunda, dias 11 e 12/02, com a seguinte ordem: no domingo, Porto da Pedra, Beija-Flor, Salgueiro, Grande Rio, Tijuca e Imperatriz; na segunda-feira, Mocidade, Portela, Vila Isabel, Mangueira, Tuiuti e Viradouro.

Listamos alguns pontos fortes e fracos de cada escola e o que merece grande atenção em cada escola:

Porto da Pedra – Campeã do grupo de acesso – série ouro – em 2023, está voltando ao grupo especial após 10 anos. Sua missão de se manter no especial é, como sempre, bem difícil. Pontos fortes: carnavalesco (manteve o campeão Mauro Quintaes), enredo (Lunário Perpétuo: a profética do saber popular), samba e intérprete (Wantuir). Pontos fracos: ser a primeira escola a desfilar, não ter a estrutura das demais.

Beija-Flor – A supercampeã do século XXI encara a difícil tarefa de fazer uma grande apresentação sendo a segunda a desfilar no domingo. Vem de um quarto lugar no ano passado, mas tem novo carnavalesco: João Vitor Araújo – pupilo de Rosa Magalhães. O enredo sobre os delírios de Rás Gonguila (para falar do carnaval de Maceió e da realeza africana) é interessante, mas uma incógnita sobre como será representado. Pontos fortes: o casal de mestre-sala e porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso), o canto das alas, a estrutura para desenvolver boas alegorias e fantasias. Ponto fraco: o samba.

Salgueiro – Uma das escolas mais fortes do carnaval carioca, nos últimos anos esteve um pouco longe do título e no ano passado ficou em sétimo lugar. Apesar de perder pontos em enredo em 2023, manteve o carnavalesco, Edson Pereira, reconhecido pela qualidade das alegorias. Pontos fortes: o apelo político do enredo (Hutukara, sobre os yanomami), o samba, o canto das alas, a bateria. Pontos fracos: as dificuldades recorrentes na evolução.

Grande Rio – Campeã em 2022 com um desfile antológico, obteve um sexto lugar morno em 2023. Porém, os carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora estudam e planejam há bastante tempo o enredo sobre a cosmovisão tupinambá e o imaginário da onça. As imagens do barracão indicam um belo conjunto alegórico e a escola pode surpreender em 2024. Pontos fortes: o enredo (Nosso destino é ser onça), o samba melodioso com a bateria mais cadenciada, as fantasias (conforme os protótipos divulgados). Pontos fracos: precisa superar as dificuldades de harmonia e evolução do ano passado.

Tijuca – A escola não tem realizado bons desfiles desde 2020, ficando três vezes em nono lugar. Dessa vez aposta na experiência do carnavalesco Alexandre Louzada (que estava na Beija-Flor). Os spoilers do barracão indicam que a escola deve apresentar uma plástica muito superior à dos últimos anos. Pontos fortes: a experiência do carnavalesco, a bateria, um bom conjunto estético (conforme o que já foi divulgado). Pontos fracos: o enredo duvidoso sobre os mitos de Portugal (Um conto de fados), o samba (talvez o pior do ano).

Imperatriz – Campeã de 2023 e forte candidata ao bicampeonato. Deve fechar com chave de ouro a primeira noite de desfiles, com um enredo lúdico (O testamento da cigana Esmeralda) e a estrela do carnavalesco Leandro Vieira. Pontos fortes: o enredo, o samba, o carnavalesco, o conjunto alegórico (pela expectativa conforme o que já foi divulgado), a gestão e organização da escola. Pontos fracos: nada consta.

Mocidade – Penúltima colocada em 2023, já vinha de um desfile desastrado em 2022. Houve quem apostasse no rebaixamento da escola, mas fala-se em novo aporte de recursos nos bastidores. O samba divide opiniões, mas tem sido um dos mais escutados e cantados. Pontos fortes: a empolgação gerada pelo samba, a bateria, os jovens Diogo Jesus e Bruna Santos (mestre-sala e porta-bandeira). Pontos fracos: ser a primeira escola de segunda, a necessidade de superar as dificuldades de evolução e harmonia dos últimos anos, o enredo não convincente sobre o caju.

Portela – Quem viu o decepcionante desfile sobre o centenário da escola em 2023 não reconhecerá a Portela em 2024. Os novos carnavalescos, André Rodrigues e Antônio Gonzaga, deram nova cara ao barracão da escola, indicando a aposta em uma renovação de estilo. À frente da escola, outra novidade: o retorno da porta-bandeira Squel Jorge, que estava na Mangueira até 2022 e chegou a anunciar uma aposentadoria precoce. Pontos fortes: o apelo emotivo do enredo (Um defeito de cor), o samba, a bateria, a nova proposta estética dos carnavalescos, o casal Marlon Lamar e Squel. Ponto fraco: a dúvida sobre a estrutura da escola para superar as dificuldades do ano passado.

Vila Isabel – Já quem viu o desfile da Vila no ano passado, quando foi terceira colocada, não pode deixar de considerá-la uma das favoritas ao título. Há, no entanto, certa incógnita no ar. Será novamente um bom ano para o carnavalesco Paulo Barros? A reedição de um clássico (Gbala, viagem ao templo da criação – de 1993) vai funcionar? Pontos fortes: a criatividade do carnavalesco e equipe (para comissão de frente e alegorias), a boa condução da evolução, a bateria. Pontos fracos: não há propriamente, mas dúvidas. O samba, embora um lindo clássico, talvez não favoreça o desfile, talvez não empolgue as alas. Não se sabe se a escola vem com o mesmo aporte e estrutura do ano passado.

Mangueira – Quinta colocada no ano passado, vem com o enredo há muito tempo esperado: a homenagem ao ícone Alcione. A força do enredo, por si, não faz da verde e rosa uma das favoritas ao título, mas candidata a uma posição no desfile das campeãs. A ser observado o desempenho dos novos coreógrafos da comissão de frente, quesito que decepcionou no último ano. Pontos fortes: o apelo de Alcione e da própria escola, a evolução do desempenho da bateria, as fantasias no seu conjunto (conforme os protótipos divulgados). Pontos fracos: se esperava muito mais do samba e pelos elementos alegóricos que já apareceram será surpreendente se a escola apresentar uma plástica nota 10.

Tuiuti – Fez um desfile surpreendente e que merecia retornar nas campeãs em 2023, mas ficou em oitavo. Logo após o carnaval, perdeu o carnavalesco, os coreógrafos e o intérprete para outras escolas. A ela retorna o carnavalesco Jack Vasconcelos, do vice-campeonato de 2018, mas que na Tijuca não concebeu bons desfiles. Pontos fortes: o enredo sobre João Cândido e a Revolta da Chibata (Glória ao almirante negro), o samba que conta muito bem o enredo, a impecável bateria. Pontos fracos: falta de estrutura para um conjunto equilibrado de alegorias e fantasias.

Viradouro – Até a última escola desfilar, nada estará definido, pois se trata da vice-campeã de 2023. Ano passado, fez um desfile primoroso que perdeu o título por detalhes. Não há como esperar pouco dessa escola. Somou-se ao time o intérprete Wander Pires, uma das mais belas vozes do carnaval. Pontos fortes: o carnavalesco (Tarcísio Zanon), o enredo (Arroboboi, Dangbé), o samba, o intérprete, a bateria do mestre Ciça, a organização da escola. Pontos fracos: difícil achar.

Em tempo: haverá quem não concorde com os prognósticos, haverá surpresas e decepções, haverá beleza mesmo na imperfeição, aura mesmo nas dificuldades. Esse é o encanto da ópera popular da Marquês de Sapucaí.

Continuar a ler
Clique em Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Festival Movimenta Cena Sul tem inscrições abertas, prevendo oportunidades para cerca de 300 trabalhadores

Redação

Publicado

em

Festival Movimenta Cena Sul tem inscrições abertas, prevendo oportunidades para cerca de 300 trabalhadores

Com o foco em apoiar trabalhadores da cultura afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul, o governo do Estado anunciou, entre uma série de medidas emergenciais para o segmento cultural, o Festival Movimenta Cena Sul.

A iniciativa ocorre de 19 a 27 de julho, com desdobramentos de ações descentralizadas que seguirão até dezembro. As inscrições estão abertas até 5 de julho para a primeira fase e 15 de julho para a segunda.

Sobre o festival

O festival é uma iniciativa que propõe ações para fomentar a cadeia produtiva das artes cênicas no Rio Grande do Sul. A programação contempla 15 apresentações no Theatro São Pedro e Multipalco, quatro oficinas virtuais e 30 intervenções artísticas em municípios do Estado.

O festival prevê atrair mais de 10 mil espectadores com uma programação integralmente gratuita e beneficiar cerca de 300 trabalhadores do setor.

Dividido em duas etapas, o festival selecionará, na primeira, 15 espetáculos de teatro, dança e circo que receberão de R$ 10 mil a R$ 15,3 mil por apresentação.

Além disso, o evento também contempla um eixo formativo com quatro oficinas virtuais abordando as temáticas de dramaturgia, produção, técnicas de palco e decolonialidade.

Seleção de profissionais

Para participar das oficinas, serão selecionados 160 profissionais das artes cênicas, sendo que 80 receberão uma bolsa de R$ 700 cada, e 80 poderão participar como ouvintes.

A segunda etapa ocorrerá entre 16 de agosto e 1º de dezembro, contemplando 30 propostas de intervenções artísticas que podem ser executadas em escolas, abrigos e espaços alternativos de diversos municípios do Rio Grande do Sul, com cachê de R$ 3 mil cada.

“O apoio ao festival corrobora o trabalho do governo do Estado para restabelecer a força da cultura gaúcha, com medidas que contribuem decisivamente para agilizar a necessária recuperação do setor cultural”, afirma a secretária da Cultura, Beatriz Araujo.

A seleção dos projetos será feita por uma curadoria de profissionais das artes cênicas e de instituições envolvidas, por meio de chamada pública. Os formulários de inscrições estarão disponíveis no site do Theatro São Pedro.

O Festival Movimenta Cena Sul tem realização da Associação Amigos do Theatro São Pedro (AATSP); apoio da Fundação Teatro São Pedro (FTSP) e do Instituto Estadual de Artes Cênicas (IEACEN), ambos vinculados à Secretaria da Cultura (Sedac); apoio cultural da Associação de Produtores de Teatro do Brasil (APTR) e da SP Escola de Teatro; e patrocínio do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul).

Chamada pública – Festival Movimenta Cena Sul:

Inscrições

Ação 1 – Espetáculos de artes cênicas

Ação 2 – Oficinas virtuais

Ação 3 – Intervenções artísticas

 

Continuar a ler

Cultura

Estado divulga lista de projetos classificados no edital da Lei de Incentivo à Cultura

Redação

Publicado

em

Estado divulga lista de projetos classificados no edital da Lei de Incentivo à Cultura

A listagem dos projetos culturais classificados no mais recente edital da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) foi divulgada na quinta-feira, 21, em edição extra do Diário Oficial do Estado (DOE).

A publicação ocorre após os 637 projetos habilitados terem sido avaliados pelas Comissões de Seleção, compostas para cada uma das quatro finalidades previstas (ver abaixo). De acordo com o cronograma atualizado da seleção, a lista definitiva com os aprovados deve ser publicada em 8 de julho, também no DOE.

Estão classificados todos os projetos com nota final igual ou superior a 60 pontos. A partir da listagem de classificação, serão definidos os projetos contemplados em ordem decrescente de pontuação, observando-se as vagas asseguradas para cada finalidade e a distribuição conforme critérios de prioridade definidos para repescagem, o que busca equilibrar a demanda e ampliar a descentralização regional.

Na página do Pró-Cultura RS, está disponível para os proponentes a consulta ao detalhamento das notas atribuídas pelos quatro avaliadores. A contar da divulgação dos classificados, cabe recurso no prazo de cinco dias corridos, indicando eventuais erros técnicos na classificação do projeto ou na aplicação das notas.

Sobre o edital

O Edital Sedac nº 02/2024 “Seleção Projetos LIC 24/25” prevê a aprovação de novos projetos culturais a partir da autorização de R$ 30 milhões para captação de recursos via abatimento de ICMS, incentivada por meio do Pró-Cultura RS/LIC.

Os eventos selecionados têm previsão de realização entre julho de 2024 e junho de 2025. O edital assegura o prazo mínimo de 30 dias de vigência de captação ou a possibilidade de prorrogação das datas previstas, se for o caso.

No mês de julho, a Secretaria da Cultura (Sedac) deve abrir inscrições para projetos de espaços culturais, patrimônio e acervos. O valor total que será investido via LIC, em 2024, deve chegar a R$ 70 milhões.

Confira aqui a lista de classificados.

 

Continuar a ler

Cultura

Romance marca a estreia do Médico Dr. Álvaro Alberto Azevedo Fernandes como escritor

Redação

Publicado

em

Romance marca a estreia do Médico Dr. Álvaro Alberto Azevedo Fernandes como escritor

Livro “Errantes do pensamento: O segredo de Poggio: uma rapsódia filosófica” traz reflexões acerca da condição humana.

Um romance filosófico que mergulha nas profundezas da mente humana e convida o leitor a embarcar em sua própria jornada de autoconhecimento e reflexão. Assim é o livro “Errantes do pensamento: O segredo de Poggio: uma rapsódia filosófica”.

A obra, que marca a estreia do médico Dr. Álvaro Alberto Azevedo Fernandes como escritor, será lançada oficialmente em 20 de junho em diferentes plataformas de compras online.

Caracterizada por uma linguagem poética e simbólica, repleta de alusões literárias e filosóficas que enriquecem a leitura, e com influências de autores clássicos e contemporâneos, o livro propõe uma leitura não linear.

Notas de rodapé e marginais oferecem perspectivas adicionais e contextos alternativos, permitindo que o leitor construa sua própria interpretação da história.

É uma publicação ideal para quem busca uma compreensão mais profunda da condição humana e das múltiplas facetas da lucidez e da loucura. Com 531 páginas, o livro foi publicado pela Ases da Literatura e pode ser adquirido pelo site Um Livro.

A obra

Livro “Errantes do pensamento: O segredo de Poggio: uma rapsódia filosófica” traz reflexões acerca da condição humana.

Livro “Errantes do pensamento: O segredo de Poggio: uma rapsódia filosófica” traz reflexões acerca da condição humana.

Ao misturar elementos de reflexão, história e fantasia, “Errantes do pensamento: O segredo de Poggio: uma rapsódia filosófica” explora as complexidades da existência por meio da história de Urbano.

A história do neurocirurgião é o fio condutor da trama. Ele e os colegas de faculdade, Asmin e J., conhecidos como o “trio da neuro”, divagam sobre as curiosidades da vida, questionam verdades e até mesmo a forma de atuação da medicina.

Depois de passar por um acidente, o então profissional se torna paciente do complexo hospitalar em que trabalha e passa a ver situações e comportamentos que antes não percebia.

Isso o faz repensar e mudar o seu antigo modo de ser. Escrever, o que ele chama de narrativa terapêutica, o ajuda nessa busca do básico e do que deixou de ser.

As lembranças de situações passadas, os relacionamentos construídos – ou retomados de outra forma – no período de internação e depois no início da sua volta às atividades, os diálogos profundos com outros personagens, bem como as histórias de vida deles, mostram a complexidade e relativizam o significado da existência humana.

Entre os novos encontros, está Poggio, que, assim como Urbano, busca um sentido para o existir. Ao conversar com o internado e saber mais sobre ele, o médico acaba por se reconhecer.

Dividido em três partes, o livro começa com “Troia Destroçada ou os Des-Troiados”, onde o protagonista inicia sua jornada introspectiva, revivendo memórias e enfrentando suas próprias contradições internas.

A segunda parte, “A Nau do Não ou Uma Neo-Nau Colonial de Insanos Controlados”, leva Urbano a uma viagem metafórica e literal pelos mares de sua consciência, confrontando figuras e ideias que moldaram sua visão de mundo.

Finalmente, “Ancoradouro e Orlas Mentais – Bordas Lúcidas” conclui a jornada com uma série de diálogos reveladores e introspecções que solidificam a transformação de Urbano.

O Autor

Nascido em 17 de agosto de 1968 em São Paulo, Álvaro Alberto Azevedo Fernandes se formou em Medicina pela Instituição Lusíadas, em 1992. Frequentou também outras graduações – Letras (USP – 3 anos), Direito (Inst. Toledo – 3 anos), e Filosofia (Unisinos – 3 anos).

Atualmente exerce o Cargo de Diretor Técnico do Hospital de Pronto Socorro de Canoas, Rio Grande do Sul. Desde a juventude é atraído pela literatura, sendo um ávido leitor e escritor independente.

Em 2024 passou a integrar (por um período de 3 anos) a equipe da Editora Ases da Literatura. “Errantes do pensamento: O segredo de Poggio: uma rapsódia filosófica” marca sua estreia como autor.

Continuar a ler
publicidade

Destaques

Copyright © 2023 Jornal Timoneiro. Developed By Develcomm