Fabiano Vencato: “O ano não começa bem no tradicionalismo”

Fabiano

Fabiano Vencato – Agenda Tradicionalista

O ANO NÃO COMEÇA BEM NO TRADICIONALISMO

Esta semana (11/01 – Terça-feira) o maior símbolo de nosso estado voltou a sua moradia, a Estátua do Laçador é um monumento histórico de Porto Alegre que representa o gaúcho pilchado (em trajes típicos). A obra é de autoria do escultor gaúcho Antônio Caringi (1905-1981) que venceu diversos concursos e produziu diversos monumentos, em geral, ligados à história e à cultura gaúcha, se para toda a população gaúcha este simbolismo possui grande estima, para nós tradicionalistas o sentimento é maior ainda dado a grande importância que este que é o cartão de visita do nosso Rio Grande possui. A obra “O Laçador” foi criada em gesso, em 1954, como resultado de um concurso vencido por Caringi para executar uma escultura que identificasse o homem riograndense na Exposição do IV Centenário de Fundação de São Paulo. Como modelo de indumentária, o artista utilizou Paixão Côrtes, um dos fundadores do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Em 1958, a escultura foi adquirida pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre e foi, então, a partir da matriz em gesso, fundida em bronze e transportada para ser instalada sobre um pedestal no antigo Largo do Bombeiro. Em 2007, em função da construção do Viaduto Leonel Brizola, a estátua foi transferida para o Sítio do Laçador, em frente ao primeiro terminal do Aeroporto Internacional Salgado Filho, onde permanece nos dias atuais. Em 1992, a Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou a Lei Complementar nº 279, instituindo, oficialmente, o Monumento do Laçador como símbolo oficial da cidade. Em 2008, a Lei Estadual nº 12.992, declara a Estátua do Laçador integrante do patrimônio histórico e cultural e escultura-símbolo do Estado do Rio Grande do Sul. Infelizmente, o laço original da estátua em bronze foi furtado a muitos anos. Para evitar novos furtos, foi confeccionado um novo laço em aço que recebeu o devido acabamento para imitar o bronze. Assim, a partir dos dados da digitalização, o novo laço foi modelado no software 3D Studio Max e agregado ao modelo 3D. A digitalização foi realizada sem captura de cores. No modelo disponível online, foram aplicados mapas de texturas imitando o bronze e a coloração da superfície estátua, apenas para efeito de visualização. Após 48 anos no local original, situado na avenida dos Estados, bairro São João, zona norte da cidade, a estátua foi deslocada. No dia 11 de março de 2007, a estátua foi transferida para o Sítio do Laçador, (onde ainda está localizada) em frente ao primeiro terminal do Aeroporto Internacional Salgado Filho, na mesma avenida, mas a uma distância de seiscentos metros do seu antigo local. O motivo para a transferência do símbolo de Porto Alegre foi a previsão de construção do viaduto Leonel Brizola, no local onde a estátua se encontrava. Nosso estimado e saudoso Paixão Côrtes na época não pôde assistir à transposição da estátua no dia da mudança, pois foi hospitalizado devido ao seu estado emocional. Em setembro de 2021 a estátua foi retirada para um trabalho de restauro devido a apresentação de diversas rachaduras, esta semana nosso laçador voltou a sua moradia e a fazer parte do cotidiano de todos os gaúchos. O Sítio do Laçador como assim foi denominado, possui quatro mil metros quadrados de área. A estátua volta a seu espaço elevado, no topo de uma coxilha que lhe serve de base. Sendo visível a todas as pessoas que chegam a Porto Alegre pela BR-116. Segundo informações o local também passará por uma revitalização onde será utilizado para eventos e manifestações mais variadas. O fato é que nosso Laçador seguirá, ao longo dos anos, recebendo quem chega à nossa capital. Como um velho amigo, ele abraça a todos com o laço da hospitalidade do nosso Estado, cuja capital, fundada, em 26 de março de 1772, está completando este ano 50 anos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here