Capitão Nascimento é pré-candidato a prefeito pelo PSC

José Ronaldo Santos do Nascimento, o Capitão Nascimento, é mais um dos canoenses que irá concorrer à prefeitura de Canoas nas eleições de novembro. Em conversa com o Timoneiro, o Capitão, que já havia visitado a nossa redação antes da pandemia, e por isso teve sua entrevista reservada, conta sobre a consolidação da pré-candidatura, sua história e ideais.

História de vida

Capitão Nascimento é Militar do Exercito Brasileiro, nascido no bairro Niterói. Tem 61 anos de idade, é casado, tem duas filhas e é orgulhosamente graduado em Direito e Ciências Contábeis, tendo três pós-graduações. “Canoas é minha terra natal, tenho muito amor, carinho e respeito por esta cidade e pela brava gente que nela habita”.

Relação com a política

De acordo com Nascimento, sua relação com a política vem desde 2014, quando foi nomeado presidente estadual do Partido Militar Brasileiro no Rio Grande do Sul. Mas, somente em 2016 foi que começou a acompanhar o então deputado federal Jair Bolsonaro (sem partido) em suas visitas ao Estado, dando-lhe apoio durante todo o tempo em que permanecia na região. Em 2018 foi convidado para exercer a vice-presidência do PSL (Partido Social Liberal), sigla pela qual Bolsonaro concorreu à presidência da República.

Mudança de partido

“No início de 2019, já prevendo a desordem no PSL, solicitei minha desfiliação, seguido mais tarde pelo próprio Presidente. O PSC é um partido que defende princípios e valores cristãos, considera que o ser humano deve ser colocado em primeiro lugar, por esta razão me identifiquei com a legenda”, conta Nascimento.

Questionado sobre o porquê quer concorrer à Prefeitura, o militar disse que vê Canoas esquecida pelo poder público. “A velha política do ‘toma lá, da cá’ continua dominando, a gestão é deficitária, o cidadão foi esquecido. Nossa cidade precisa de renovação, novos personagens devem ter oportunidades de apresentar sua capacidade de gerir a coisa pública. Não se muda a política mantendo no poder velhos políticos”.

Aposta no currículo

A formação militar é uma aposta para o Capitão, que se diz um cidadão disciplinado e cumpridor dos deveres. “Sempre considerei que a Pátria nada me deve, e sim, eu a ela”.  Formado na Escola de Sargentos das Armas em Três Corações-MG, conta que teve a oportunidade de conhecer todas as regiões do Brasil. Por duas oportunidades, representou o Brasil junto à Organização das Nações Unidas na missão de paz no Haiti, fase que considera a mais importante em sua carreira. Também é formado em Direito e Ciências Contábeis, com três especializações: Direito Militar, Comércio Exterior e Gestão da Docência Universitária.

Ideologia

Por fim, Nascimento enfatiza a defesa de valores sólidos e imutáveis, como família, pátria, respeito ao ser humano, obediência aos preceitos democráticos, igualdade, liberdade e temência a Deus. “Pela minha caminhada junto ao então presidente Bolsonaro, fica evidente que defendo suas ideias e seu amor pelo Brasil. Plagiando a letra da música Tropa de Elite, ‘serei osso duro de roer’”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here