Com número menor de passageiros, empresas alteram serviços

Com o isolamento social, o número de usuários de ônibus em Canoas diminuiu consideravelmente e é perceptivelmente reduzido, principalmente no centro da cidade. Com a queda na quantidade de passageiros, a Sogal, desde a última quarta-feira, 25, diminuiu o número de veículos e alterou os horários das linhas de ônibus, passando a aderir à tabela de verão.

De acordo com a empresa, a queda foi de 80% nos passageiros que utilizam diariamente o sistema. A Sogal afirmou que devido a esta queda de usuários foi preciso fazer uma redução na frota, mas a empresa garantiu que está adequada ao volume de passageiros que utilizam o sistema diariamente e seguindo todas as determinações feitas pela Secretaria Municipal de Transporte.

Todas as alterações e demais informações podem ser consultadas no site da empresa, e no Canoas Go Bus, que, segundo a empresa, são atualizadas todos os dias.

Para conter a possível proliferação do novo coronavírus, a empresa está higienizando todos os ônibus nos intervalos entre as viagens e todas as noites, na garagem, é realizado uma lavagem interna em cada coletivo.

Trensurb

Em meio à pandemia da Covid-19, a Trensurb segue registrando números reduzidos de passageiros transportados. Na quarta-feira, 25, foram 27.951 embarques no metrô, o que corresponde a uma demanda 82,3% menor que a média de usuários transportados por dia útil na primeira quinzena de março (157.636). Desde o dia 13 de março, a demanda no sistema metroviário tem diminuído significativamente em função das medidas de prevenção à propagação do coronavírus.

Pela manhã, os trens operaram com intervalos de 10 minutos no trecho de maior movimento, da Estação Sapucaia até a Estação Mercado, no período entre 6h26 e 7h26, evitando aglomerações nas estações e trens. No trecho Novo Hamburgo – Sapucaia, os intervalos são de 15 minutos. No sentido inverso, da Estação Mercado à Estação Novo Hamburgo, os intervalos entre viagens também são de 15 minutos. Nesse período, circulam pelo sistema metroviário cinco composições formadas por trens acoplados (totalizando oito carros) e três composições simples (quatro carros). Depois do horário de pico, os intervalos voltam a ser de 30 minutos, como tem sido desde segunda-feira, 23, com a circulação de quatro composições de oito carros. Os intervalos maiores que o normal ocorrem devido à demanda reduzida no sistema, levando em consideração a recomendação das autoridades para que a população permaneça em suas residências, e também por conta do baixo efetivo em função da dispensa de empregados no grupo de risco da Covid-19.