Olegar Lopes: “Após vinte e sete anos, a oportunidade”


Olegar Lopes – Agenda Tradicionalista
Após vinte e sete anos, a oportunidade

Lembro muito bem, foi no 38º Congresso Tradicionalista, realizado no mês de janeiro do ano de 1993, em Santo Ângelo: a coordenadoria da 12ª RT organizou uma caravana de tradicionalistas comprometidos com o tradicionalismo da nossa região, todos imbuídos do propósito de sediar o 39º Congresso na nossa região, mais precisamente em Esteio, com o apoio do prefeito municipal Getúlio Fontoura e do Miguel Luz. Conquistamos o direito de sediar o congresso, o local seria – no entendimento do prefeito e dos principais tradicionalistas envolvidos com a realização do evento – um dos melhores, o Parque de Exposições Assis Brasil.

Tomados pela euforia da conquista, já no retorno de Santo Ângelo, ainda no ônibus, foi marcada a data da primeira reunião para formação da equipe que iria organizar o tão sonhado congresso. A coordenação das reuniões ficou com o Coordenador João Carlos de Moura que havia assumido cargo do Coordenador anterior, Adão Maciel, que também participou da mobilização para sediar o 39º congresso bem como na sua organização.

Quando fomos procurar a administração do Parque para nos organizarmos, para nossa surpresa, fomos informados que a diretoria do Parque não assumiria compromisso antes da realização da Expointer. Com todos esses entraves a organização do congresso foi autorizada a iniciar os preparativos do local no mês de novembro, quando faltavam 60 dias para o evento. E mais, os pavilhões estavam infestado de pulgas e somente 15 dias antes a dedetização – prometida no início de novembro – foi realizada. Eu, como responsável pelo alojamento dos visitantes, tinha para oferecer para esses o galpão onde os peões da exposição ficaram alojados. As camas eram uns catres de tábua bruta, ainda com algumas pulgas. Além de muitas outras deficiências, por muitos anos levamos a fama de pior congresso, até que novas gerações foram surgindo e com isso nossa fama caiu no esquecimento, mas quem passou por tudo isso jamais esquece.

Como vivemos tempos diferentes, aposto no dinamismo e experiência do Coordenador Fabiano Vencatto e sua equipe de trabalho experiente na realização de grandes eventos tradicionalistas realizados com sucesso por seus adjuntos. Assim não podemos perder essa oportunidade para nos redimir de fama de um dos piores congressos em termos de estrutura já realizado.