Parlamentar do PT responde as perguntas da série “O que o seu vereador anda fazendo…”

Jornal Timoneiro: O que já realizou durante o seu mandato?
Vereador Ivo Fiorotti: Em meus três mandatos apresentei mais de sessenta projetos: 46 se tornaram Leis. São 25 leis na área da regularização, destacando a nominação de ruas, garantindo cidadania aos moradores com o número do CEP; 9 leis de dias e semanas comemorativas, destacando a dos surdos, da síndrome de Down, do Bem Estar Animal e o Dia Laranja; 4 leis na área de infraestrutura pública, destacando as calçadas ecológicas com acessibilidade; 3 leis na área da ecologia, destacando a premiação do Selo Amigo do Reciclador; 2 Emendas à Lei Orgânica Municipal, destacando a Tribuna Popular; o Prêmio Líder Comunitário Canoense Clésio Aires de Oliveira; e, a lei que garante 70% de mão-de-obra canoense nas paradas da Petrobrás. Os que não se tornaram leis foram encaminhados ao executivo para que este as apresente, destacando a possibilidade de parcelamento no pagamento do ITBI. Fui relator de projetos estruturantes, dentre os quais a Lei Canoas Minha Terra (regularização fundiária). Membro titular da Comissão da Saúde, Educação e Cultura. Proponente e presidente das Comissões Externas do Aeromóvel e em Defesa da Previdência Pública. Concedi Título de Cidadão Canoense aso Pe. Armindo Catelan, ao militante pelos direitos dos deficientes Jorge Cardoso e ao artista plástico Vinicio Cassiano.

Jornal Timoneiro: Quais as principais demandas dos populares que procuram seu gabinete?
Ivo Fiorotti: Desde o planejamento do primeiro ano de vereador surgiu o lema: “ Servir (depois substituído por representar) as pessoas e fortalecer as organizações sociais”. No atual mandato, tanto as demandas coletivas como às pontuais – coleta de resíduos, manutenção de luminárias, limpeza de rede pluvial, manutenção de paradas de ônibus, reparação da camada asfáltica, etc. – passaram a ser encaminhadas através dos PPs – Pedidos de Providência, com metas para a Assessoria Comunitária do Gabinete em sua prospecção e em seu retorno à comunidade. Também organizamos comissões de moradores para intermediar solução de demandas ligadas a ampliação de rede de iluminação pública, revitalização de praças e infraestrutura nos espaços de esporte e lazer.

Jornal Timoneiro: Das promessas de campanha, o que ainda falta ser realizado?
Ivo Fiorotti: Ao propor um mandato aberto para o acolhimento das demandas e viabilizar soluções, neste terceiro mandato, grande parte das necessidades estruturais de vilas e bairros foram abortadas com o fim do Orçamento Participativo. Destaco a Central de Prestação de Serviços para trabalhadores autônomos e o Mutirão de qualificação das calçadas com o reordenamento dos empecilhos (árvores) para garantir um mínimo de trânsito de pedestres. É possível acompanhar o planejamento em cada ano e as sucessivas prestações de contas nas redes sociais (https://www.facebook.com/ivo.fiorotti e http://ivovereador.blogspot.com/), onde estão incluídos os Informativos do Mandato impressos e distribuídos. Fomos nos adaptando ao novo processo de acolher as demandas e fiscalizar as ações do executivo, embora com menos parâmetros de gestão governamental do que as duas anteriores. Suponho que a cidadania canoense está percebendo esta diferença e que saberá escolher uma nova gestão que tenha mais canais de comunicação e diálogo dos gestores públicos com o cidadão e os segmentos sociais.

Jornal Timoneiro: Pretende candidatar-se na eleição de 2020?
Ivo Fiorotti: O PT tem uma orientação estatutária que o parlamentar fique no máximo com três mandato. Vou levar à risca esta orientação e trabalhar para que uma mulher ocupe o meu espaço.