Conecte-se conosco

header-top






 

04/03/2024
 

Comunidade

Retirada de busto reacende conflitos

Escultura de Pestalozzi foi retirada de lugar tradicional

Avatar

Publicado

em

Busto de Pestalozzi foi retirado da entrada da instituição. Foto: Marcelo Grisa/especial-OT

Busto de Pestalozzi foi retirado da entrada da instituição. Foto: Marcelo Grisa/especial-OT

Marcelo Grisa
@marcelogrisa

O Instituto Pestalozzi Canoas completa 90 anos em 2016. Uma das primeiras instituições da rede de ensino especial no país, que hoje conta com 221 escolas que seguem a pedagogia das bases de Johann Heinrich Pestalozzi, está hoje sem a sua maior homenagem ao educador em sua entrada: o busto do suíço, que inspirou Thiago Würth a criar a escola, em 1926. A obra, de Lauro Corona, que estava em frente ao local há vários anos, está agora guardada dentro da instituição.
Beatriz Würth, neta do criador da Pestalozzi Canoas, afirmou que haveria a intenção da atual direção, apontada pela Federação Nacional das Associações Pestalozzi (FENAPESTALOZZI), de instalar a escultura em um futuro museu no local. Entretanto, há discordâncias não somente a respeito da retirada do busto, mas sobre os rumos da instituição entre mães e interventores.

Onde está Pestalozzi?
O busto de Pestalozzi para a escola pioneira na rede está dentro das dependências do mesmo casarão que a abriga. Em uma sala do segundo andar, tanto o original, em bronze, quanto a réplica de gesso estão armazenados, sem cobertura, e acompanhados de livros de chamadas, peças didáticas, brinquedos construídos por antigos alunos, troféus e outros itens históricos. É onde será implementado o Museu Pestalozzi – ainda em 2016, de acordo com as coordenadoras da entidade.
Sob intervenção da FENAPESTALOZZI, a entidade está sob tutela de Edna Alegro, que, de Brasília, falou sobre a situação. “Retiramos a escultura para dar o destino mais adequado a ela”, explica. Segundo a representante, uma comissão de profissionais voluntários de áreas relacionadas à Arquitetura estão verificando se a melhor forma de preservar a obra é mantendo-a ao ar livre, em algum novo local próximo da entrada, ou realocá-la no Museu Pestalozzi.
Para adaptar o local em relação ao Estatuto da Pessoa com Deficiência também seria necessário dar passagem livre no local. “Fizemos uma consulta interna, e tínhamos deficientes visuais que vinham aqui e não entendiam até hoje porque precisava dar a volta neste local”, afirma a atual coordenadora adjunta, Ester Pacheco.

Dá para acreditar?
Entretanto, muitos têm motivos para desconfiar das intenções da direção. Há questionamentos de mães e ex-funcionários sobre a viabilidade do Museu, já que a intervenção federal não manteve nem mesmo uma sala para que as mães permanecessem nas dependências da escola – iniciativa encerrada no último dia 23 de junho. “A gente até ajudava com algumas crianças que têm situações mais graves de deficiência intelectual”, conta a dona de casa Mara Alves, mãe de uma aluna da instituição. “Hoje a gente simplesmente não pode entrar dentro da escola. É um absurdo!”
Aparentemente, a questão se deve principalmente a uma diferença de metodologia. De acordo com a coordenadora adjunta, Ester Pacheco, após a intervenção, o intuito é fazer com que o objetivo seja a autonomia e a auto-estima dos alunos. “A gente quer estimular eles a fazerem tudo sozinhos: com as sessões de interação, com horta, jardinagem…”, explica. De acordo com Edna, a sala de convivência para as mães foi descontinuada devido ao comportamento delas, que interferia neste ponto do método agora utilizado em Canoas.
Uma segunda mãe, que não quis se identificar, afirma que a questão foi motivada por um desentendimento entre a direção da Pestalozzi e algumas mães isoladas. “A gente acaba pagando por uma ou duas”, afirmou.

Dificuldades financeiras
A Pestalozzi Canoas passa por intervenção da Federação justamente por ter passar por graves dificuldades financeiras – incluindo ameaça de fechamento. Com uma dívida tributária de aproximadamente R$ 3 milhões, a instituição foi recentemente incluída no Programa de Recuperação das Instituições com Serviços em Saúde (PROSUS), do Ministério da Saúde. Assim, as pendências da escola receberam moratória, com previsão de descontos baseados no gasto com depósitos de INSS dos funcionários.

Antes o busto ficava na porta da instituição. Foto: Bruno Lara/arquivo-OT

Antes o busto ficava na porta da instituição. Foto: Bruno Lara/arquivo-OT

Continuar a ler
Clique em Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comunidade

Prêmio Picucha Milanez 2024 será entregue no dia 7 de março; veja quem são as homenageadas

Redação

Publicado

em

Prêmio Picucha Milanez 2024 será entregue no dia 7 de março; veja quem são as homenageadas

A Câmara de Vereadores de Canoas irá promover na próxima quinta-feira, 7, a entrega do Prêmio Picucha Milanez, concedido pelo Legislativo canoense a mulheres que tenham se destacado em suas áreas de atuação. Serão 10 agraciadas na cerimônia alusiva ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março.

A premiação

Instituído em 1997, por decreto legislativo, é conferido anualmente pela Câmara Municipal de Canoas a mulheres que tenham se destacado em sua área de atuação ou meio social.

O Prêmio recebeu o nome Picucha Milanez para homenagear Maria Filomena Rumi Milanez, conhecida como “Vó Picucha”, falecida em 1973.  Uruguaia, nascida em Rivera, em 1888, ela estabeleceu residência onde hoje é o município de Canoas, aos sete anos de idade, juntamente com sua mãe. Aos 19 anos, casou-se com Fioravante Milanez. Picucha se destacou na luta pela construção do Hospital Nossa Senhora das Graças e pelo trabalho em favor de crianças carentes

Homenageadas

– Amanda Quadros de Oliveira – indicada pela bancada do AVANTE.

Christiane Costa de Oliveira – – indicada pela bancada no NOVO.

Gisele Uequed – indicada pela bancada do PT.

Gislaini I. dos Santos Zottis – indicada pela bancada do MDB.

– Capitã Júlia Marmentini Calgaro – indicada pela bancada do Republicanos.

Luciane Bertoletti – indicada pela bancada do Partido da Renovação Democrática.

Maria Rosa Almeida– indicada pela bancada do Partido Solidariedade.

Mirian Rodrigues da Silva Soares – indicada pela bancada do Partido Progressista.

Mônica Ulrich – indicada pela bancada do Partido Verde PV.

Vera Siqueira Santos – indicada pela bancada do PL.

 

Continuar a ler

Comunidade

IMAGENS: Cachorra é levada da frente de condomínio no centro de Canoas

Redação

Publicado

em

Os tutores estavam em frente ao condomínio quando a cachorrinha da raça Lulu da Pomerania se afastou, e quando eles foram procurar, não a encontraram mais.

Tristeza, preocupação e desespero tomaram conta quando a tutora não a encontrou. Buscando imagens das câmeras de segurança da rua, ela identificou que uma mulher a levou e, provavelmente, embarcou em um ônibus em direção a Nova Santa Rita.

Se ela foi furtada ou resgatada por esta mulher, não se sabe, mas a família está desesperada atrás da cachorrinha. Veja as imagens abaixo e se tiver informações, pode entrar em contato com o jornal O Timoneiro pelo e-mail redacao.ot@gmail.com.

Continuar a ler

Comunidade

Moradores da rua Rio de Janeiro reclamam de galhos caídos e buracos na via

Redação

Publicado

em

Moradores da rua Rio de Janeiro reclamam de galhos caídos e buracos na via – Foto: O Timoneiro

Após divulgação do Choque de Limpeza, realizado pela Prefeitura de Canoas desde a segunda-feira, 12, após temporal do dia 16 de janeiro, que provocou quedas de árvores, galhos e entulho pelas ruas da cidade, moradores da rua Rio de Janeiro, no bairro Mathias Velho, reclamam que o problema não foi resolvido na via.

Galhos caídos rua Rio de Janeiro - Foto: O Timoneiro

Galhos caídos rua Rio de Janeiro – Foto: O Timoneiro

De acordo com a Prefeitura, o serviço foi intensificado e até terça-feira, 13, foram 7.160 toneladas retiradas, o que representa cerca de 906 cargas de caminhão. A força-tarefa foi operada pelas Secretaria de Serviços Urbanos, Meio Ambiente e Obras, além das subprefeituras.

Reclamações de moradores

Moradora da rua há 34 anos, Elaine Lopes conta que a rua, que é uma das principais do bairro, está abandonada há muitos anos. “Nunca presenciei nenhum recapeamento de asfalto, que está cheio de remendos, além do mato que cresce em terrenos baldios e muito lixo”.

Buraco na rua Rio de Janeiro - Foto: O Timoneiro

Buraco na rua Rio de Janeiro – Foto: O Timoneiro

Ainda de acordo com a canoense, os galhos caídos no temporal ainda não foram removidos do local até o momento.

O que diz a Prefeitura

A reportagem de O Timoneiro entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura, que explicou que, a respeito dos entulhos, agentes da subprefeitura estão atuando no bairro e ainda “nesta semana devem remover os resíduos na Rio de Janeiro e em toda a ‘entrada’ da Mathias’”.

De acordo com a nota, estão no cronograma semanal: ruas São Paulo, Sarmento Leite, Itabaiana, D. Federal, Paraíba, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Padre Réus, Guaporé e Missões.

Leia também: Mais de 7 mil toneladas de entulho foram retiradas das ruas desde o temporal de janeiro
Continuar a ler
publicidade

Destaques

Copyright © 2023 Jornal Timoneiro. Developed By Develcomm