PSOL apresenta pré-candidato à Prefeitura

Graziele Albuquerque

O diretório do PSOL em Canoas, que desde sua criação na cidade apresenta candidato para concorrer à majoritária, decidiu recentemente o nome para a disputa desta ano para a Prefeitura. O candidato ao executivo será o professor, advogado e sociólogo Pablo Henrique.

Ativista desde 1996, Pablo é o atual Diretor Geral do 20º Núcleo do CPERS Canoas, e com o convite do diretório canoense para representar o partido nas eleições, teve que se licenciar do cargo onde representa cinco municípios e 80 escolas estaduais. “Em respeito à nossa categoria, foi feita uma solicitação junto aos nossos colegas, explicando o motivo pelo qual o Pablo iria se afastar, e que fosse dada essa liberdade para que assim ele fosse se colocar à disposição de toda a comunidade canoense”, ressaltou Cleusa Werner, professora e presidenta do PSOL Canoas.

Convite para concorrer

O partido foi criado em 2005, e desde então em todas as eleições municipais, o PSOL apresenta candidatura própria. Nos últimos três pleitos o representante escolhido foi o canoense Paulo Sérgio, que irá concorrer a uma das 21 cadeiras da Câmara de Vereadores este ano.

De acordo com a presidenta do partido, Pablo foi o escolhido no diretório para substituir o nome do Paulo Sérgio, que deu sua colaboração nas últimas eleições, e o PSOL precisava de um candidato que fizesse frente com ele. “No começo o Pablo foi resistente, mas fomos persistentes e ele aceitou esse desafio. Ele tem um histórico de luta e através dele podemos mudar e mostrar que podemos fazer diferente”, complementou.

Trajetória

O pré-candidato nunca concorreu para nenhum cargo político, mas aos 41 anos, tem um currículo vasto, e com diversas participações importantes dentro do próprio partido, como a sua própria criação dentro de Canoas. Pablo também é Coordenador Regional da Associação Brasileira de Famílias Homo e Trans Afetivas (ABRAFH).

“O nosso grupo tem como princípio não trair a confiança que nos é depositada. Nessa conjuntura que a gente vive, não podemos ficar alheios a tudo que está acontecendo. Com esse crescimento exacerbado, como esse próprio governo fascista, nós devemos apontar as irregularidades e também mostrar o caminho”, concluiu o pré-candidato ao executivo.

Vice para compor a chapa

De acordo com os dirigentes do PSOL, está acontecendo conversas com o PSTU para ser firmada uma aliança entre os partidos, e assim, posteriormente, o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado indicar um nome para ser candidato a vice-prefeito, e consolidar a chapa à majoritária.

Plano de governo

O PSOL, desde 2008, prepara seu plano de governo com realizações de plenárias, divididas pelos quatro quadrantes da cidade. De acordo com o pré-candidato, o diretório está buscando readequações, pois não pode haver esses encontros presenciais e com aglomerações por conta do quadro de pandemia, mas garantiu que o plano segue sendo a participação popular, com a criação de conselhos comunitários, com o poder de deliberação em cima de toda a política. “Temos questões pontuais dentro da cidade de Canoas, como, por exemplo, a terceirização da saúde publica, que passa por um momento delicado com casos de corrupção, o esgoto, onde o canoense depois da Participação Pública Privado (PPP), que foi aprovado pelos nossos vereadores, está pagando muito mais caro na conta de água, e o transporte público, pois todo o cidadão tem o direito de ir e vir, e o PSOL irá trabalhar essas pautas, pois temos que garantir a todos os cidadãos o direito dos serviços públicos”, concluiu Pablo Henrique.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here