Conecte-se conosco

header-top



 




 

19/05/2024
 

Saúde

EPIDEMIA DE DENGUE: Canoas montará hospital de campanha para triagem de contaminados

Redação

Publicado

em

EPIDEMIA DE DENGUE: Canoas montará hospital de campanha para triagem de contaminados

Para desafogar o atendimento dos casos de dengue no sistema de saúde, a Prefeitura de Canoas anunciou que estabeleceu seis medidas para enfrentamento imediato à epidemia da doença.

Entre as ações, está prevista a implantação de um hospital de campanha anexo à UPA Boqueirão, com acolhimento e triagem dos pacientes, para diminuir a pressão dos atendimentos no local. A região registra o maior número de casos em Canoas.

Ainda de acordo com a nota, será oferecido também atendimento especializado e exclusivo para pessoas com mais de 60 anos com sintomas de dengue na UPA do Idoso, das 7h às 19h.

O objetivo é tirar os idosos da fila das outras UPAs, garantindo um pronto atendimento no local. A UPA do Idoso é atendida pela linha de ônibus circular dos hospitais.

Testes rápidos

Para acelerar o diagnóstico dos casos, serão adquiridos 40 mil testes rápidos e haverá a retomada da Central de Testagem, junto à Estação Canoas. As ações diárias dos agentes de endemias, como o fumacê, serão intensificadas nas próximas semanas, além da contratação imediata de 15 agentes.

Outra medida é a ampliação da equipe médica nas unidades de saúde Guajuviras, CAIC e Estância Velha, justamente as que atendem a região com maior número de casos. Serão alocados dois médicos a mais em cada um desses serviços, com atendimento até às 19h.

Superlotação das UPAs

O prefeito Jairo Jorge destaca a importância de garantir uma resposta ao aumento dos casos na cidade.

“A população está sofrendo com a superlotação nas UPAs e precisa de respostas e de ação. Estamos trabalhando para que o canoense tenha o pronto atendimento. Por isto, a urgência em implantar um pacote de medidas que abrange tanto o combate da dengue através da prevenção quanto a ampliação dos atendimentos”, reforçou.

O secretário municipal de Saúde, Mauro Sparta, reforça a necessidade de dar uma resposta para o grande número de casos de dengue na cidade.

“Não podemos deixar a população desassistida. Definimos medidas que vão nos ajudar, já no curto prazo, a ter resultados imediatos, ampliando o acesso aos serviços de saúde, intensificando as ações de prevenção e combate ao mosquito e ofertando mais testes rápidos, além de um local adequado para acelerar o diagnóstico dos casos”, salienta.

Nova UPA

Outro importante anúncio é a inauguração da UPA Niterói, que será entregue até o final deste mês, com funcionamento das 7h às 23h.

“A entrega desta nova UPA será muito importante para o sistema de saúde da região, facilitando o acesso dos munícipes com casos de média e alta complexidade, sem que precisem se deslocar até outro bairro ou um dos hospitais”, frisa Sparta.

Confira as 6 medidas anunciadas:

  1. Implantação de um hospital de campanha anexo à UPA Boqueirão, no bairro Guajuviras;
    2. Ampliação da equipe médica nas unidades de saúde Guajuviras, CAIC e Estância Velha, com dois médicos a mais em cada;
    3. Atendimento especializado e exclusivo para pessoas com mais de 60 anos com sintomas de dengue na UPA do Idoso, das 7h às 19h;
    4. Compra de 40 mil testes rápidos e retomada da Central de Testagem junto à Estação Canoas;
    5. Intensificação das ações diárias dos agentes de endemias e contratação de 15 novos profissionais;
    6. Inauguração da UPA Niterói até o final de abril, com funcionamento das 7h às 23h.

Dengue em Canoas

Atualmente, Canoas registra 2.269 casos, sendo 2.259 autóctones e 10 importados. Os bairros com maior incidência são Estância Velha (862 casos), Guajuviras (432) e Nossa Senhora das Graças (180).

A melhor forma de prevenção da dengue é evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, a partir da eliminação da água armazenada em locais que podem se tornar criadouros, como vasos de plantas, galões de água, pneus, garrafas plásticas e piscinas sem uso e sem manutenção.

Enchente 2024 Canoas

Estado discute reposição de equipamentos para o HPS de Canoas

Redação

Publicado

em

A Secretaria Estadual da Saúde já discute como reequipar o Hospital de Pronto-Socorro de Canoas (HPSC), alagado durante a enchente das últimas semanas. A titular da pasta, Arita Bergmann, visitou o município no sábado, 18.

A secretária destacou que o governo já conta com um levantamento dos equipamentos perdidos, que poderão ser substituídos por meio de doações de hospitais de outros estados para a rede de saúde do Rio Grande do Sul.

“Precisamos também de um projeto de reforma. Ainda não sabemos se o hospital vai ficar no mesmo lugar ou mudar. Isso vai levar um tempo para ser estruturado, mas já pensamos em possibilidades para garantir os equipamentos”, explicou.

Em reunião com o secretário municipal de Saúde, Mauro Sparta, Arita também discutiu a possibilidade de reequipar o Hospital Universitário, na Ulbra, onde esteve durante a visita. Na passagem por Canoas, ela ainda conheceu o hospital de campanha montado na Ulbra para atender a população, principalmente os afetados pelas enchentes.

Instalado no último dia 5, o hospital é responsável pelo atendimento diário de 200 pessoas em regime de 24 horas por dia. A equipe é de 65 profissionais – incluindo clínicos gerais, pediatras, emergencistas e os funcionários da enfermagem, entre outros.

“O atendimento é para todo o município de Canoas, então temos a equipe volante que passa nos abrigos, expandindo o trabalho do hospital de campanha”, explicou a coordenadora da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), Juliana Lima de Araújo.

De acordo com a secretária estadual, o primeiro desafio em uma situação de emergência é salvar vidas. “Agora, estamos em um segundo momento, de começarmos a ver o que é possível fazer para restabelecer o funcionamento da rede de saúde e o que podemos programar para o futuro.”

Continuar a ler

ENCHENTE RS

População em abrigos no RS será imunizada contra a gripe

Redação

Publicado

em

Todas as pessoas com mais de 6 meses de idade que foram para abrigos por conta das enchentes no Rio Grande do Sul serão imunizadas contra a gripe. Ao menos essa é a meta do governo estadual, que já está vacinando a população desses locais.

O Palácio Piratini afirmou, em nota, que o plano de imunização contra a influenza seja aplicado até a próxima segunda-feira, 20. O governo ainda afirma que uma nota técnica do Ministério da Saúde vai orientar sobre outras ações de vacinação no Estado, incluindo esquemas contra hepatite A, tétano e raiva humana em áreas atingidas pelas enchentes.

Em nota oficial, o governo estadual informou que está sendo feito um levantamento sobre o assunto. A intenção é de que os municípios que necessitam de doses de vacina contra influenza recebam os imunizantes a partir do fluxo logístico da Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos.

Campanha

A campanha de vacinação contra a gripe no Rio Grande do Sul começou em março. À época, foi direcionada somente para grupos prioritários. No começo de maio, já em meio às enchentes, a campanha foi ampliada para a população em geral com as doses remanescentes.

Foram vacinados até o momento 38% do público prioritário, composto por gestantes, puérperas, idosos, crianças e povos indígenas. Ao todo, já foram aplicadas mais de 1,8 milhão de doses contra a doença.

Prevenção

Ambientes fechados e com aglomeração de pessoas são propícios ao aparecimento de doenças infecciosas respiratórias. Confira algumas medidas de prevenção:

  • Proteger a boca e o nariz ao tossir e ao espirrar com um lenço de papel (na falta de um lenço, a recomendação é usar a dobra interna do cotovelo);
  • Evitar tocar olhos, nariz ou boca com as mãos após contato com superfícies;
  • Fazer a higiene das mãos com água e sabão (caso não disponíveis, pode ser utilizado álcool em gel e, nesse caso, deixar as mãos secarem naturalmente) após tossir ou espirrar e antes de tocar olhos, boca e nariz.
Continuar a ler

Enchente 2024 Canoas

Hospital de campanha da Força Aérea é aberto junto ao Gracinha

Redação

Publicado

em

Canoas ganhou o reforço de um hospital de campanha da Força Aérea Brasileira (FAB). Instalada ao lado do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), no bairro Marechal Rondon, a estrutura começou a funcionar na manhã deste sábado, 11.

Os atendimentos ocorrerão entre 8h e 18h, todos os dias. O HNSG seguirá absorvendo as demandas fora desse horário.

Os pacientes que chegam à instituição de saúde passam por uma triagem antes de receberem atendimento com os profissionais. O hospital veio com um efetivo de 48 militares. O objetivo é prestar assistência, principalmente em casos de menor gravidade. “Nós vamos trabalhar em parceria e disponibilizamos de médicos clínicos, ortopedista, pediatria, ginecologia, obstetrícia, psicólogo e psiquiatra”, explica o major da FAB João Luiz Henrique da Silveira.

A estrutura conta com leitos de estabilização, sala cirúrgica para procedimentos de baixa complexidade, 8 leitos de observação e medicação, raio x e laboratórios de análises clínicas.

De acordo com o superintendente do HNSG, Leandro Gomes dos Santos, o reforço é importante porque Canoas perdeu diversos equipamentos de saúde em razão das fortes chuvas no município. “Foram perdidos 19 unidades básicas de saúde e o serviço do Hospital de Pronto Socorro (HPS), que é o grande hospital da emergência da cidade. Com isso, o Hospital Nossa Senhora das Graças recebeu todas as urgências e teve uma sobrecarga de serviços. O hospital de campanha vem para ajudar a desafogar essa nossa demanda”, explica.

Continuar a ler
publicidade

Destaques

Copyright © 2023 Jornal Timoneiro. Developed By Develcomm