Conecte-se conosco




 

07/12/2023
 

Feira do Livro 2023

Domingo terá tempo bom, histórias, teatro e Martha Medeiros na Feira do Livro de Canoas

Redação

Publicado

em

O domingo será de muitas atrações na 38ª Feira do Livro de Canoas, que acontece na praça Emancipação, em frente à Prefeitura. Das 14h às 19h30, haverá diversas atividades, com destaque para o teatro infantil, João Jiló e a conversa com as escritoras Martha Medeiros e Leticia Wierzchowski.

Confira a programação e participe

Para as crianças, às 14h, no auditório Sady Schiwitz acontece a peça teatral João Jiló, apresentada pelo Grupo Tia. Já na Bebeteca, da Biblioteca Municipal, serão realizadas sessões de Contação de História, às 14h, às 15h e às 16h, com os contadores Arthur Côrtes e Sílvia Graebin.

Integrantes da Associação Canoense dos Escritores estarão, às 14h30, no auditório Sady Schiwitz, falando sobre os 21 anos de protagonismo literário.

No auditório, às 18h acontece a Mesa Escritor Canoense: A importância da poesia no cotidiano. O que é preciso para ser poeta? Estarão presentes Helena da Rosa, Jaqueline Garcia Nunes e Jonatan Ortiz Borges.

As sessões de autógrafos do Café Literário serão às 16h, com a Casa do Poeta e as obras Canoas 80 anos e VII Coletânea: poesia, crônica e contos. Geni Velasques Adorne autografa, Quando o vento sopra e Régis Pacheco, autografa sua obra, Luis Carlos no Vale dos Suicidas.

Fechando a programação do dia Martha Medeiros e Leticia Wierzchowski participam da Conversa com o Escritor, às 19h30, no Auditório Sady Schiwitz.

Feira do Livro 2023

Gaúcha Jaqueline Nunes lança o livro Dilemas Poéticos no sábado, 21

Redação

Publicado

em

Gaúcha Jaqueline Nunes lança o livro Dilemas Poéticos no sábado, 21 - Foto: Ageu Cardoso

Por Laira Souza

A Feira do Livro de Canoas deste ano trouxe para a praça Emancipação obras de jovens escritoras. Dentre elas está o livro Dilemas Poéticos, da gaúcha Jaqueline Nunes, que será lançado na feira.

A obra de poemas relata dilemas do cotidiano com temas sobre meio ambiente, política, amores e questões sociais, por exemplo, tudo de uma forma “sutil, sem imposições”, como define a autora.

Aos 33 anos, Jaque conta que escreveu o livro até os 29 anos, trazendo um pouco da carga e das emoções das diferentes fases do amadurecimento, desde a infância, passando pela adolescência, até o início da idade adulta.

“Quando eu trintei virou uma chavinha na minha cabeça e mudou completamente a maneira de eu escrever. Mas a minha essência continua a mesma. Decidi que ali era o momento de eu colocar tudo isso para o mundo.”

Destaca que este é um livro escrito por uma mulher, mas não é direcionado apenas para mulheres, mas sim, para todos os públicos. “Trazem dilemas atípicos de momentos que eu ou o mundo estávamos vivendo. Tu não consegue ler algum destes poemas sem se questionar sobre o tema, sem refletir sobre algo. É um presente aos leitores.”

Até ter a obra pronta em mãos, foi um longo caminho e diversas tentativas de patrocínio. Através de uma rede de apoio profissional, o projeto do livro foi inscrito no  Programa de Incentivo à Cultura de Canoas (PIC), ao qual foi contemplado.

Lançamento

O lançamento será neste sábado, às 16h, no Café Literário. O livro, publicado pela Entreverbo, está disponível na Feira do Livro de Canoas ou nas principais plataformas digitais.

Continuar a ler

Feira do Livro 2023

Jovem expositor, Daniel começou a escrever após descobrir doença do irmão

Redação

Publicado

em

Jovem expositor da Feira do Livro, Daniel começou a escrever após descobrir doença dor irmão - Foto: Laira Souza

Tendo a vida e o cotidiano como inspiração, Daniel Maier, expositor da Feira do Livro, presenteou os canoenses com um conto sobre o que vivenciou na praça Emancipação.

Daniel começou a escrever em 2020, tendo como gatilho a neurofibromatose tipo 1, doença que seu irmão mais novo foi diagnosticado, ainda em 2016.

A ideia era informar as pessoas sobre a doença, para que passem por ela com mais leveza. E foi assim, que esse jovem rapaz, descobriu o seu talento para escrever.

…………….

Chove chuva em Canoas:

Daniel Maier*

Mais do que saber responder perguntas, ou desenvolver teses e trabalhos, o pesquisador é aquele que também sabe aproveitar a aventura que é chegar nas respostas.

Pelo menos sempre foi essa a percepção que tive, e agora iniciando minha vida de universitário, eu precisava navegar mais nesse mar que é a vida. Quando por indicação, começo a trabalhar na feira do livro, só que agora a de Canoas.

Assim como disse Jorge Ben: “chove chuva, chove sem parar”. Nessa terra a mesma situação, mas não seria isso que iria atrapalhar a grandiosa feira do livro. Desde o primeiro dia, algo que me chamou atenção foi ela.

Uma senhora de muito conhecimento, chapéu preto, sobretudo preto, e um sapato bico fino, representando Santos Dumont, a icônica arauta, que todas as manhãs toca seu sino e nos dá um bom dia repleto de entusiasmo e energia.

Após isso, surge um ambiente onde crianças brincam, dançam, sorriem e dão risadas, me pego imaginando como é cada um, cada qual com sua subjetividade, e nesse jogo de palavras, lembro da minha adolescência, lembro do tempo que escrever poemas era algo para expressar.

A tarde, é um rito uma pausa no Café Literário, onde surgem diversas conversas, ideias, e onde sinceramente há o melhor salgado e café da região de Canoas, a feira como um todo é sublime, majestosa, e acolhedora.

Como irmão de um raro, alguém que defende a bandeira da inclusão, eu vejo tantas crianças incluídas, os sorrisos, a alegria e a graciosidade.

E com estes mesmos olhos de mocidade, eu encontro o Batman na feira, apesar do Batman não ter mais de um metro e dez de altura, e também não usar a máscara, ele está sempre sorrindo, e sua alegria é inspiradora, além de cuidar da sua vovó com muito zelo.

Tem sido esse o tema das conversas com meu amigo Kim, a leveza das crianças, e a paixão pela vida. Sentados no restaurante próximo da esquina, duas alaminutas, e conversas jogadas ao cheiro da fritura no ambiente.

Pego meu celular que estava vibrando, e após correr os olhos pela tela, me lembro que não são apenas crianças que sentem paixão… Pela vida.

*Escritor

Continuar a ler

Feira do Livro 2023

Secretário de Cultura de Canoas, Eliezer Pacheco autografa “Sociedade e Política” hoje no Café Literário

Redação

Publicado

em

Secretário de Cultura de Canos, Eliezer Pacheco autografa “Sociedade e Política” hoje no Café Literário

O Café Literário da Feira do Livro de Canoas desta terça-feira, 17, será com o secretário municipal de Cultura, Eliezer Pacheco.

Na ocasião, o secretário vai apresentar para a comunidade canoense o oitavo livro de sua autoria “Sociedade e Política”. Com início às 16h, o encontro contará com sessão de autógrafos, na Praça da Emancipação, no Centro.

Ferramenta de reflexão

Segundo Pacheco, “Sociedade e Política” é recomendado para os jovens e adultos, principalmente estudantes e professores, como uma ferramenta de reflexão.

“Escrevi com a tentativa de propor instrumentos para interpretação da realidade em que vivemos. Estamos perplexos com os acontecimentos de conflitos no mundo. Procuro fazer uma análise do capitalismo atual de forma democrática”, explica.

 

Continuar a ler
publicidade

Destaques

Copyright © 2023 Jornal Timoneiro. Developed By Develcomm