Olegar Lopes: “A Crimeia e suas Guerras”

Olegar Lopes – Agenda Tradicionalista

A Crimeia e suas Guerras

Não vou entrar no mérito sobre o atual conflito bélico que envolve a Rússia e a Ucrânia, com mais ênfase para a região da Crimeia, isso é um assunto que deixo para os analistas políticos internacional. O que eu vou mesmo é trilhar por outra seara, a da história. Até confesso meu desconhecimento, eu só ouvia falar da Crimeia quando o assunto se tratava da origem da bombacha. Foi durante a Guerra da Crimeia (1853-1856) que a bombacha se popularizou no Rio Grande do Sul. A calça larga que passou a ser usada pelos gaúchos era comercializada pelos britânicos no mercado russo de predominância muçulmana. Com o conflito foi necessário buscar novos mercados e a América do Sul foi a válvula de escape encontrada pelos britânicos. A calça larga usada pelos muçulmanos, agora também usada pelos gaúchos, aqui também teve seu uso em outro conflito bélico, a Guerra do Paraguai.

Outro fato histórico importante tem sua origem na Guerra da Crimeia (1853-1856), nas palavras do editor Luiz Antônio Araujo do Jornal ZH, marcou o surgimento de uma atividade lendária da história da imprensa: a de correspondente de guerra. Quando o conflito eclodiu, o jornal britânico The Times decidiu destacar um repórter para acompanhar os acontecimentos (…) o escolhido foi um veterano repórter especializado na cobertura do parlamento inglês: William Howard Russell.

No ano de 2014 a Crimeia voltou a ser notícia, novamente por envolvimentos políticos, o que me levou a conhecer melhor a Crimeia. Se antes eu só sabia da sua existência através do surgimento da bombacha no Rio Grande do Sul, hoje eu sei que a Crimeia é uma península ucraniana, que fica ao sul da Ucrânia, próxima ao Mar Negro, que é um território, que por ser autônomo, tem governo e legisladores próprios, que lá as pessoas falam russo mais que ucraniano. Também que em O Continente, de Érico Veríssimo, aparece num capítulo, A Teiniaguá: em 1856, um mascate judeu chega a Santa Fé e dá a notícia do fim do conflito na Criméia – eu não lembrava mais, também faz tanto tempo que eu li o romance.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here