Conecte-se conosco

header-top






 

04/03/2024
 

Cultura

CARNAVAL RIO: União de Maricá é destaque na primeira noite de desfiles da série ouro

Redação

Publicado

em

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Por Daniela Uequed e Douglas Angeli

A Marquês de Sapucaí recebeu as primeiras oito escolas da série ouro na sexta-feira, 10, abrindo os desfiles do segundo grupo do carnaval carioca. Estreante em um sambódromo que completa 40 anos em 2024, a União de Maricá realizou o melhor desfile da noite.

A escola subiu da série prata no ano passado e recebeu grande aporte financeiro para trazer sua comunidade com boas alegorias e fantasias, cujo enredo prestou homenagem ao sambista Guaracy Sant’anna, o Guará, autor de sambas como Sorriso Aberto – sucesso na voz de Jovelina Pérola Negra. Com um abre-alas acoplado, a escola mostrou imponência e bom acabamento no conjunto alegórico.

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Parque Acari, Império da Tijuca e Vigário Geral

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

A primeira a desfilar foi outra estreante no sambódromo, a União do Parque Acari, que homenageou os 50 anos do bloco afro-baiano Ilê Aiyê. A escola fez um desfile acima da expectativa, com e boa evolução e harmonia e um bom conjunto de alegorias e fantasias – apesar de parte das esculturas terem sido resultado de reaproveitamento de desfiles passados de outras escolas.

Na sequência, o tradicional Império da Tijuca ingressou na avenida para exaltar a vida e obra da cirandeira Lia de Itamaracá, que recentemente completou 80. Lia foi o mote para a escola falar da cultura da ciranda, popular no estado de Pernambuco. Falta de elementos nas fantasias de algumas alas, abertura de buracos na evolução e dificuldades na harmonia foram os pontos negativos da escola, prejudicada também por um princípio de incêndio na última alegoria.

Já a Acadêmicos de Vigário Geral fez referência à cidade cearense de Maracanaú e sua grande festa de São João, realizando um desfile esteticamente abaixo das demais, com muitos problemas de acabamento nas alegorias e dificuldades de harmonia.

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Inocentes e Estácio de Sá

A Inocentes de Belford Roxo desfilou com um ótimo enredo, desenvolvido pelos carnavalescos Cristiano Bara e Marco Falleiros, sobre o comércio popular no Rio de Janeiro desde a época das pinturas de Jean-Baptiste Debret até o atual comércio de rua em locais tradicionais como Madureira. Houve referência, em um tripé, ao apresentador Sílvio Santos, que na juventude trabalhou como camelô. A escola realizou um bom desfile, com um bom conjunto de alegorias e fantasias.

A Estácio de Sá, herdeira da primeira escola de samba, a Deixa Falar, fundada em 1928, tratou de ancestralidade afro-brasileira em um grande desfile. O tamanho da escola e as dificuldades de evolução, no entanto, resultaram no estouro de um minuto no tempo de desfile. A comissão de frente já deu o tom do desfile ao fazer referência aos pretos velhos, seguido de uma excelente apresentação do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Feliciano Júnior e Thaís Romi e de um abre-alas imponente, apesar de alguns problemas de acabamento.

Niterói e Unidos da Ponte

Após o bom desfile da União de Maricá, a Acadêmicos de Niterói se apresentou com enredo sobre os catopês, festa tradicional da região de Montes Claros, norte de Minas Gerais. O desfile, entretanto, apresentou pouca densidade narrativa no desenvolvimento do tema, com setores repetitivos e teve desempenho apenas médio em seus quesitos.

A última escola a desfilar foi a Unidos da Ponte, com enredo sobre o dendê e sua relação com a religiosidade afro-brasileira. Com um belo samba e bom canto das alas, a escola fez um desfile com aproveitamento de esculturas de desfiles de outros anos, mas bem ressignificados conforme a proposta do enredo.

O mesmo ocorreu com as fantasias, gerando desequilíbrio na estética das alas. Ficou para o sábado a grande expectativa da série ouro, com os desfiles de escolas tradicionais e favoritas ao título, como Unidos de Padre Miguel, São Clemente, União da Ilha do Governador e Império Serrano.

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Foto: Daniela Uequed/O Timoneiro

Cultura

Sesc Canoas abre a programação anual de oficinas artísticas

Redação

Publicado

em

Sesc Canoas abre a programação anual de oficinas artísticas

Com o término do período de férias, chegou a hora de buscar a prática de novas atividades, que também contribuem para o bem-estar. Com esse propósito, o Sesc Canoas lançou a sua programação anual de oficinas, que contempla dança e expressão corporal inclusiva, teatro e canto coral.

As oficinas são ministradas por profissionais das respectivas áreas no Teatro do Sesc Canoas (Av. Guilherme Schell, 5340) e estão abertas ao público.

Desenvolver novos talentos, habilidades e ainda proporcionar momentos de convivência e descontração é a proposta. A Oficina de Teatro com o Grupo Tia começa já nesta segunda-feira, dia 4 de março, com turmas mista, infantil e juvenil usando um clima de jogo e liberdade que estimula a dramatização, criação e produção.

Voltada a indivíduos com idade a partir de 15 anos com deficiência intelectual e/ou síndromes, a Oficina de Dança e Expressão Corporal Inclusiva AmarElo terá início no dia 05 de março, terça-feira. A atividade usa dança, instrumentos musicais e materiais cênicos para desenvolver o corpo e a mente com a dança contemporânea.

Já quem quer descobrir seu potencial ou aperfeiçoar seu talento vocal ainda pode participar das aulas de coral Coralando, que começaram no dia 5 de março.

Nos encontros, indicados para quem tem a partir de 18 anos, é oferecido um repertório nacional variado, leitura de partituras, confraternizações e apresentações.

Oficina de Dança e Expressão Corporal Inclusiva AmarElo

– Data: A partir do dia 04/03, todas as segundas-feiras

– Local: Teatro do Sesc Canoas (Av. Guilherme Schell, 5340)

– Ministrante: Lidi Pagliarini, professora de Educação Física, formada pela Unilasalle, atua com pessoas com deficiência há 16 anos

– Horário: das 14h às 16h

– Número de vagas: 08 vagas

– Valores:  R$120 (Público Geral) e R$90 (Comerciários e Empresários com Credencial Sesc)

– Informações: E-mail amar.eeloss@gmail.com ou Whatsapp (51)99696-1301

 

Oficina de Teatro com Grupo Tia

– Data: A partir do dia 05/03, todas as terças-feiras

– Local: Teatro do Sesc Canoas (Av. Guilherme Schell, 5340)

– Ministrantes: Marcelo Militão e Mariana Abreu, produtores, atores e coordenadores do Festival Internacional de Teatro em Canoas (Festia)

– Horário:

  • Turma mista (10 a 15 anos) – 16h às 17h30
  • Turma infantil (10 a 13 anos) – 18h às 19h30
  • Turma juvenil (13 a 18 anos) – 19h40 às 21h40

– Número de vagas: 20 vagas

– Valores:  R$120 (Público Geral) e R$90 (Comerciários e Empresários com Credencial Sesc)

– Informações: E-mail tiateatrobr@gmail.com ou Whatsapp (51) 99184-3232

Aulas de Coral Coralando

– Data: iniciou dia 05/03, todas as terças-feiras

– Local: Teatro do Sesc Canoas (Av. Guilherme Schell5340)

– Ministrante: Cristian Graebin (regente coral), Aimée Chaves (multi-instrumentista) e Sílvia Graebin (diretora teatra)

– Horário: 19h30

– Número de vagas: 25 vagas

– Valores:  R$120 (Público Geral) e R$100 (Comerciários e Empresários com Credencial Sesc)

– Informações: E-mail contatohecmultiartes@gmail.com ou Whatsapp (51) 99335-6398

 

Continuar a ler

Cultura

Cultura na Rua começa neste domingo

Redação

Publicado

em

Foto: Renan Caumo/Divulgação

Um novo projeto deve estimular atividades por meio de eventos culturais de rua. O Cultura na Rua começa neste domingo, 4, e acontecerá semanalmente em diferentes pontos da cidade. Das 13h às 19h, o público poderá conferir apresentações musicais e outras atividades na Rua Dr. Severo da Silva, esquina com a Avenida Santos Ferreira, no bairro Estância Velha. A iniciativa é uma promoção da Secretaria da Cultura.

Para este fim de semana, ainda há o Festival de Carrinho de Rolimã, contação de histórias, declamação e uma feira de variedades. As atividades são abertas ao público em geral e todas são gratuitas.

“O Cultura na Rua é um projeto que vem para descentralizar a cultura em nosso município, levando música, teatro, dança e outras manifestações para uma rua da cidade, sempre aos domingos. Entendemos que esse evento será muito importante para melhorar a vida das pessoas e promover o bem-estar”, destacou o secretário da pasta, DJ Cabeção.

Devido ao Carnaval, nos dias 10 e 17 de março, o Cultura na Rua não será realizado. A ação retoma no domingo seguinte, dia 24.

Continuar a ler

Cultura

Biblioteca Pública inaugura exposição “Gatos nas Letras”

Redação

Publicado

em

Os frequentadores da Biblioteca Pública João Palmo da Silva (Rua Ipiranga, nº 105), podem acompanhar a exposição “Gatos nas Letras”, que apresenta 19 obras que tem esses bichos de estimação como tema.

A mostra segue até dia 1º de março. Segundo a bibliotecária Andréia Knob, os livros estão disponíveis para leitura e empréstimo. Entre os títulos estão “O gato malhado e a senhora Sinhá”, de Jorge Amado, “Garfield”, de Jim Davis, e “Bob, um gato fora do normal”, de James Bowen.

Escritores e seus gatos

É antiga a relação de grandes escritores com esses animais domésticos, sendo que alguns deles dedicaram obras inteiras aos felinos. De Julio Cortázar a Ernest Hemingway, de Ferreira Gullar a Carlos Drummond de Andrade. Jorge Luís Borges, Ezra Pound, Truman Capote, Tchecov, Yeats e Lewis Carroll também viveram cercados por eles. Mestre das histórias de mistério e suspense, Edgar Allan Poe utilizou-os como personagens de seus contos. T. S. Elliot escreveu um livro sobre os gatos.

A Biblioteca fica no térreo da Secretaria da Cultura, na Rua Ipiranga, 105, Centro. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.

Documentos para o cadastro:

  • Identidade com foto
  • Comprovante de residência atual no próprio nome ou dos pais (se o endereço estiver no nome de terceiros, é preciso apresentar declaração).
Continuar a ler
publicidade

Destaques

Copyright © 2023 Jornal Timoneiro. Developed By Develcomm