Governo federal oficializa doação do prédio do Hospital Universitário

A Prefeitura de Canoas recebeu oficialmente a doação do prédio do Hospital Universitário (HU) do Governo Federal. O ato de transferência de titularidade por videoconferência, entre representantes da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, do Ministério da Economia, o prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, e demais assessores municipais.

Para a transferência do prédio e dos seus equipamentos, os atuais administradores municipais realizaram um trabalho intenso junto ao Governo Federal com o apoio do senador Luis Carlos Heinze, do deputado federal Ronaldo Santini, do deputado estadual Dirceu Franciscon, do ex-deputado federal Ronaldo Nogueira e dos vereadores de Canoas.

A doação se destina à manutenção da prestação dos serviços de saúde, incluindo serviços ambulatoriais e hospitalares do HU, que é referência para tratamentos especializados em saúde para até 156 cidades gaúchas. Inaugurado em 2007, o hospital viu uma crise ter início em 2009 e se arrastar por anos. Inclusive com o fechamento de 2 andares inteiros e a metade de outro em 2015. Por causa da crise financeira da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em 2014, o imóvel e todos os bens e equipamentos que servem ao hospital foram transferidos para a União, como forma de quitar parte das dívidas contraídas pela Ulbra com o Governo Federal. Logo após, a Prefeitura de Canoas assumiu a gestão dos serviços de saúde da instituição.

O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, afirma que, em 2017, dois andares inteiros e parte de outro, dos dez andares do prédio, estavam desativados desde 2015. Vários equipamentos estavam depositados em salas e sem uso. No quinto, o sétimo e parte do oitavo andar havia camas e macas reviradas, poltronas rasgadas e equipamentos amontoados, sem nenhuma manutenção. Entre eles ventiladores, balanças, ecógrafos, tomógrafos, máquinas de hemodiálise, incubadoras, desfibriladores para reanimar pacientes com parada cardíaca e berços aquecidos. Alguns aparelhos com custo de R$ 1 milhão estavam parados.

“Em 2017, o HU representava um dos principais problemas. Por isso, passamos a realizar uma série de esforços para recuperar o local, com investimentos e melhorias, pois desde a sua inauguração, o hospital nunca havia recebido reformas. Após oferecer uma estrutura e atendimento de qualidade aos canoenses, buscamos alternativas para o problema de dívidas do HU. Agora, a nossa expectativa é acabar com o problema financeiro da saúde nos próximos anos, fechando uma cicatriz história no município.”, explica Busato.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here