Acadef realiza a doação de 17 cadeiras motorizadas para pessoas com deficiência

Foto: Vinicius Thormann

A Associação Canoense de Deficientes Físicos (Acadef) realizou a primeira entrega de cadeiras motorizadas, na tarde desta quinta-feira, 14. Os equipamentos foram viabilizados através de um convênio entre a Prefeitura de Canoas e a Secretaria Estadual de Saúde, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). A Acadef é referência na reabilitação física para 23 municípios do Rio Grande do Sul.

No evento, 17 cadeiras foram doadas e, durante o mês de março, ainda serão entregues 153 equipamentos, entre cadeiras manuais, motorizadas e de banho, o que beneficiará 141 pessoas com deficiência. “A inclusão é uma das grandes prioridades deste governo e fico muito satisfeito em ver que estamos atingindo nossos objetivos, possibilitando maior qualidade de vida e acessibilidade para as pessoas com deficiência de Canoas”, comenta o prefeito, Luiz Carlos Busato, que participou do evento.
A presidente da Associação, Patrícia Marcelino, reafirma o compromisso que a instituição tem com a sociedade: “Exercemos de fato e de direito a nossa missão, que é conceder às pessoas que necessitam da Acadef a cidadania e a qualidade de vida que merecem”. Já o diretor da Pessoa com Deficiência de Canoas, ligada à Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Participação Social (SMDHPS), Jair Silveira, salienta que a diretoria trabalha no desenvolvimento e na implementação de políticas públicas, “possibilitando que as pessoas com deficiência exerçam seus papeis de cidadãos, contribuindo com a sociedade a partir de sua autonomia de deslocamento, que deve ser com segurança”.
O gestor de reabilitação da Acadef, Jivago Di Napoli, explica que cada pessoa com deficiência, de acordo com algumas diretrizes do SUS, tem direito a uma cadeira motorizada. “Os beneficiários ainda passam por treinamento obrigatório de 30 dias, realizado por um terapeuta ocupacional da Acadef, momento em que também será avaliado se a pessoa está apta ou não a utilizar o equipamento”, explica. Jivago ainda comenta que a cadeira é de alta tecnologia e que custa, na compra particular, R$ 12 mil. Graças ao convênio por meio do SUS, as pessoas com deficiência recebem o equipamento de forma totalmente gratuita.