Antônio Canabarro Tróis filho, o Tonito, completa 93 anos de vida

Foto: Simone Dutra/Timoneiro

Na última terça-feira, 27, Antônio Canabarro Tróis filho, o Tonito, completou 93 anos. Tonito nasceu em São Francisco de Assis, no dia 27 de novembro de 1926. Reside em Canoas desde 1941. Como jornalista, colaborou nos jornais locais Correio de Canoas, Expressão, Gazeta de Notícias, O Gaúcho, Radar, Folha de Canoas e Diário de Canoas. Foi co-fundador, em 1965, de O Momento, que dirigiu até 1958. É co-fundador do jornal O Timoneiro, que dirigiu de 1966 a 1922. Em 1967/68, foi redator e cronista da Folha da Tarde, de Porto Alegre. Atualmente segue trabalhando como um dos colunistas mais ativos do jornal Timoneiro, sempre abordando assuntos ligados à cultura e às pessoas de Canoas. Pessoas, aliás, sempre foram o foco da obra de Tonito que, não por acaso, é autor de Gente é Mais Importante.

Em 1976, conquistou o 3º lugar em concurso nacional de crônicas promovido pelo Instituto Estadual do Livro e a Associação Rio-Grandense de Imprensa. Foi Patrono da Feira do Livro de Canoas, em 1999.

É co-fundador da Associação Canoense de Comunicação Social, da Fundação Cultural de Canoas, da Associação Canoense de Escritores, e membro da Casa do Poeta de Canoas. No plano político, exerceu a vereança no município de Canoas pelo PDC (Partido Democrata Cristão), entre 1964 e 1967. Foi autor, entre outros, do Projeto de Lei que criou o Conselho Municipal de Cultura.

Com biografia extensa, Tonito ainda continua escrevendo semanalmente para este jornal, do qual é um os fundadores, e, com seus textos, contribuindo para uma cidade mais justa e fraternal. Parabéns, mestre!

Dentre seus livros publicados estão:

– O Sal e o Blá (crônicas);
– Hino das Vilas (poemeto histórico);
– Postais (poemas);
– Boi Gordo é o Governo (versos satíricos);
– Doce Exílio (crônicas);
– Da Cabeça de Deus Todos os Pensamentos (versos sobre pensamentos clássicos);
– Urgência de Eternidade (poemas);
– Flagelo faz 40 anos (coletânea de notícias / poesia), com Moacir Ayres da Siqueira;
– Gente é mais importante (histórias sobre canoenses).