Setembro Amarelo: Canoas, o Rio Grande e o Brasil contra o suicídio

MARCELO GRISA

No dia 10 de setembro, é celebrado, em todo o mundo, o Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio. A data, que tem apoio da Organização Mundial da Saúde, tem sua razão de ser. Só no Brasil, 32 pessoas tiram a sua própria vida todo dia – uma a cada 45 minutos. Mais de 90% dos casos está associado a algum tipo de distúrbio mental ou psicológico, o que torna o suicídio um último recurso para aplacar a dor de quem sofre.
No Brasil, desde 2015 é celebrado o Setembro Amarelo. A iniciativa busca conscientizar todos que possam ajudar os que têm ideias suicidas.
Mesmo com ideias como essa, no mundo, uma pessoa tira a própria vida a cada 40 segundos. Mais ou menos o que você demorou para ler este texto até aqui.
O CVV oferece, no Brasil, um serviço desde junho deste ano que já tem paralelo em outros países. Através do número 188, há uma rede de atendimento voluntário 24 horas por dia para quem pensa em tirar a própria vida ou enfrenta outros problemas psicológicos ou emocionais. Também é possível falar com a equipe do Centro pelo chat online, no site https://www.cvv.org.br/chat/, enviando um e-mail para o serviço em https://www.cvv.org.br/e-mail/, ou mesmo escolhendo um dos postos de atendimento do CVV, disponíveis em https://www.cvv.org.br/postos-de-atendimento/.
No último dia 14 de agosto, foi lançado o Comitê de Valorização da Vida e Prevenção ao Suicídio da Prefeitura de Canoas. A ideia é reunir iniciativas para não apenas acolher, mas agilizar o atendimento médico das pessoas com ideação suicida. De acordo com a presidente do novo órgão, a assistente social Simone Glimm, nem todos os canoenses que precisam conseguem chegar até os serviços de saúde necessários para a solução de seus quadros psicológicos. “Precisamos falar mais disso para que possamos tentar eliminar o estigma em relação a esse problema de saúde pública”, afirmou a presidente em entrevista ao Timoneiro.
O Comitê municipal sobre o assunto reúne representantes das secretarias da Saúde, Desenvolvimento Social, Educação, Segurança Pública e Cidadania e os Conselho Municipal de Saúde; Conselho Tutelar e a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Canoas. O órgão terá pelo menos três atribuições principais. A primeira é a de colocar em prática um observatório sobre o índice de suicídios e tentativas, que está em ascensão nos últimos anos, de acordo com os dados da Vigilância Epidemológica. O segundo é o de estabelecer uma Comissão de Educação Permanente para que os estabelecimentos médicos da cidade garantam a melhor acolhida daqueles que pensam ou planejam tirar a própria vida.
Por fim, como maior medida prática, o Comitê planeja inaugurar, até o final do ano, um CVV municipal. “Nosso objetivo é não só ouvir e acolher, mas encaminhar uma pessoa em risco para a rede de saúde de forma preventiva”, argumenta a presidente Simone.