Sem verbas para continuar aulas, IFRS pode cancelar ano letivo

GRAZIELE ALBUQUERQUE

A rotina escolar dos mais de 950 alunos do Campus Canoas do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) poderá ser afetada no final de setembro. O motivo são os cortes de verbas anunciados em abril pelo Ministro da Educação, Abraham Weintraub.
O contingenciamento de 30% estipulado pelo governo federal, no dia 30 de abril, aumentaram nesses quatro meses para 40%, isso significa R$ 1.072.445,00 a menos para o cofre da instituição anualmente, e com isso não se garante continuidade nas aulas a partir final do mês.
O Diretor Geral do Instituto, Mariano Nicolao, recebeu nossa equipe de reportagem e mostrou uma apresentação que foi feita exclusivamente aos servidores, na qual foi detalhado o orçamento financeiro do Campus. Os gastos de serviços essenciais (continuados e serviços terceirizados), anualmente, como água, luz, segurança, telefone, entre outros, somam R$ 1.475.648,96, o que caracteriza um valor acima do que é repassado para a instituição.
Foi montado pelos professores projetos para a reutilização das águas da chuva nos banheiros, e para auxiliar na economia, todas as lâmpadas incandescentes foram substituídas por de LED. “Como os alunos iram frequentar às aulas sem luz, água, segurança, limpeza? Não tem como, é uma questão de salubridade. Se não tivermos o retorno do valor que foi nos tirado, vai ser impossível dar continuidade”, concluiu o diretor.
Mesmo fazendo remanejo institucional em recursos que tinham outros fins, as bolsas de Pesquisa, Extensão e os auxílios estudantis, que os estudantes que necessitam de ajuda financeira para dar continuidade aos estudos recebiam, serão cancelados por falta de verba. “Nós fizemos o que era possível para manter até aqui, foi realizado um movimento dentro de outro recurso que recebemos do Governo Federal para manter as bolsas até o fim do mês. Nós sabemos a necessidade e ajuda que esse valor faz aos nossos estudantes”, enfatizou.
O Reitor do IFRS tenta reverter a situação de todos os Campus do Rio Grande do Sul junto ao MEC e Secretária da Educação, mas caso não aconteça todos os Institutos gaúchos deverão cancelar o ano letivo por falta de verbas. “Isso é muito ruim para a instituição, o momento que não houver perspectiva de continuidade nas aulas, principalmente o Ensino Médio, os alunos começaram a procurar outra escola, e com eles cancelando a matrícula, teremos um problema de evasão e com o MEC por conta disso”.
O IFRS é uma instituição federal de ensino público e gratuito, especializada na oferta de educação profissional e tecnológica. Desde 2010, o campus Canoas oferta vagas para estudantes ingressarem por meio de processo seletivo para cursos técnicos de nível médio, EJA e graduação.