Jorge Uequed: “O samba-enredo da Mangueira foi uma escola para a política atual”


Jorge Uequed – Momento Político
Mangueira campeã

Pela vigésima vez a escola de samba Estação Primeira de Mangueira saiu vencedora do desfile do Carnaval do Rio de Janeiro. Quem assistiu ao desfile e prestou atenção na letra do samba-enredo, notou o sentimento de protesto da grande parcela da sociedade carioca contra os governos não democráticos, e também a reação contra o desrespeito às mulheres e ao brutal assassinato político da vereadora Marielle Franco.

O momento nacional não é de apoio ao governo, embora os atuais governantes tenham vencido por uma boa margem o processo eleitoral. Mas o excesso de promessas e a falta de ação governamental, aliados ao destempero do linguajar do senhor Presidente fazem diminuir o número de adeptos, aumentar os críticos e estimular a oposição.

O Carnaval foi uma escola para tudo isso.

PPP da Corsan

Canoas tá vivendo um momento atípico, de um lado posições políticas que se radicalizam em função da proximidade da eleição para prefeito, e de outro, a da retomada de recursos pra implantar um sistema de esgoto cloacal numa grande cidade do Rio Grande do Sul, na qual grande parcela da população não tem esgoto cloacal.

A proposta da PPP da Corsan para busca de recursos e investimentos na área, que é do Estado e a Prefeitura não pode oferecer, visa atingir as camadas mais frágeis da sociedade. Vem aí um grande debate: quem vem primeiro, os interesses da comunidade ou das lideranças políticas? Vale mais a melhoria para o povo ou um grupo político criar dificuldades para o outro só para vencer a eleição?

Saúde

Com a demissão da secretária Rosa e a possibilidade de nos próximos dias haver a nomeação do presidente da Fundação de Saúde, Fernando Ritter, para o cargo de secretário, começam os debates e discussões para uma nova proposta de saúde na cidade.

A crise gerada pelo Gamp e pelas deficiências técnicas e financeiras do Gracinha causaram um grande desgaste à população e a falta de atendimento. Agora, este novo projeto, que inclui a intervenção do Gamp no Hospital Universitário e Pronto Socorro, a mudança na Secretaria da Saúde e da contratação de uma nova equipe gestora para o Gracinha começa a estimular alternativas. Volto a insistir que a solução para a gravidade da crise do Gracinha não depende apenas das ações governamentais, mas  se não houver um amplo apoio e participação da sociedade o HNSG, fundado pelos canoenses, não terá como vencer. E se não o fizer, o grande prejudicado é a sociedade, especialmente os mais necessitados, eis que o Gracinha nunca fechou suas portas para ninguém, mesmo não tendo dinheiro suficiente para uma boa prestação de serviço.

8 de março

Em minha longa vida pública, de mais de 60 anos, cada vez mais me estimula a interação e a intensidade da sociedade na comemoração do Dia da Mulher. Não apenas com as festividades, mas na participação ativa nos debates, no incremento das propostas e na busca de alternativas revitalizastes e educativas.

Nesta data, relembro minha mãe Daltiva, a mais bela comerciária que a cidade de Rio Grande conheceu, e depois do cuidado na educação de seus seis filhos e no carinho do preparo de uma frase que ela sempre ostentava: – “Só faça hoje aquilo que você poderá orgulhar-se por toda a vida”.