Fábio Verardi: “O Homem dos Treze Mil Amores”

Fábio Verardi

O Homem dos Treze Mil Amores

A década de 1990 foi marcada por uma prática muito comum em aniversários e outras comemorações em família, as chamadas “homenagens ao vivo”, eram compostas por um carro de som que estacionava em frente à casa do homenageado e produzia uma grande festa sonora. Parabéns a você, declarações lidas ao vivo e outras músicas divertidas faziam a alegria dos amigos e familiares, o que por vezes deixava o aniversariante muito encabulado, mas era a manifestação de todo o carinho a uma pessoa querida. Nessa mesma época, um músico canoense que atuou como artista principal no luxuoso hotel Serra Azul em Gramado retornava da Europa depois de uma estada de quatro anos na Itália. O glamour de suas apresentações logo chamou a atenção de bem sucedidos empresários que firmaram contrato para o artista tocar durante nove anos em requintados eventos na praia de Atlântida, interpretando Bossa Nova e clássicos do Jazz o músico se tornou uma unanimidade pelo talento e peculiaridade do som de seu romântico instrumento musical. 

Por ter tocado nas ruas de Roma nosso artista sentia um sabor especial de estar em contato com diferentes emoções e com todos os tipos de pessoas que compunham uma sociedade, foi daí que surgiu a ideia de tocar ao vivo não somente em eventos sociais, mas também dentro da casa das pessoas. As bodas de prata de muitos vovôs, o aniversário da mulher amada e o clássico dia das mães nunca mais foram os mesmos, lágrimas espontâneas passaram a correr em muitos rostos de homenageadas que recebiam em sua porta um músico que tocava e marcava o resto de suas vidas. Nosso artista passou a colher em cada casa, por mais simples que esta fosse, toda a emoção dedicada pelas famílias e passou a se tornar um pombo correio do amor. As homenagens ao vivo do músico que usava um chapéu estilo Panamá empunhando um saxofone dourado que soprava “Como é Grande o Meu Amor Por Você” passaram a ser um grande sucesso em todas as classes sociais, pois ele cobrava um preço único nas apresentações, não importando quem fosse seu contratante.

E assim, as apresentações foram se multiplicando na mesma proporção do amor que nosso artista colhia em cada evento, em cada sorriso e em cada lágrima de emoção derramada, que eram registradas com nome e data numa agenda de papel, que logo deu lugar a duas, depois três e com o tempo alcançou o número de trinta. Agendas que registram treze mil apresentações, uma verdadeira coleção de amores lembrando os lendários conquistadores Giacomo Casanova e Don Juan Demarco que detinham o poder de seduzir e terem todas as mulheres aos seus desejos. Porém, nosso artista é muito maior que um simples sedutor, ele é um mensageiro do amor polinizado pelos mais genuínos sentimentos de treze mil famílias e amigos que dedicaram seu amor para outro amor. Uma trajetória de vida incrível com mais de 25 anos participando e eternizando momentos na vida das pessoas, o que faz de Inácio Longhi o homem dos treze mil amores.

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here