Rede terá 70% de candidatas mulheres para o Legislativo

Invertendo a lógica dos espaços tradicionalmente distribuídos pelos partidos, a Rede Sustentabilidade Canoas adotou como meta para as próximas eleições o aumento da representatividade no Legislativo. Desde 2019 foi definido e se trabalha para uma nominata composta por 70% de candidatas mulheres e 30% de homens.
Na opinião da vice-prefeita, Gisele Uequed, há uma necessidade de ampliação de mulheres nos espaços de decisão no Brasil e em Canoas não é diferente. Além disso, no entendimento de Gisele há uma necessidade de empoderamento para construção de políticas públicas não apenas voltadas para as mulheres, mas construídas por elas.

“A Rede está colocando na prática o discurso de que as mulheres estão preparadas para ocupar espaços de poder. As mulheres no mundo inteiro estão à frente de instituições e governos. Em Canoas não é diferente. Somos capacitadas para dialogar sobre economia, educação, saúde, sustentabilidade, obras, segurança, enfim, em todas as áreas de uma gestão pública”, defende Gisele.
Durante o mandato, a vice-prefeita construiu e esteve a frente de programas importantes como o “Por Mim”, que visa retirar mulheres do ciclo da violência através da empregabilidade, oportunizando entrevistas de emprego com empresas parceiras. Neste período, a cidade chegou a marca de dois anos sem feminicídios e ampliou o atendimento do Centro de Referência da Mulher (CRM) para atender meninas a partir dos 14 anos. Também com grande atuação no trabalho de gestão da educação, com a ampliação de 26% nas vagas na Educação Infantil, zerando a fila da pré-escola, e implementando o Google For Education em todas as escolas de Ensino Fundamental.


Candidaturas coletivas

A REDE também inova com candidaturas coletivas, modelo inédito na cidade. Neste tipo de mandato, todos os componentes possuem status de covereadores, através de um acordo político do grupo com o partido e a sociedade. “A horizontalidade foi um dos motivos da fundação da Rede e nós estamos conseguindo colocar isso em prática. Não trabalhamos com projetos pessoais. Nós queremos apresentar propostas, planos sólidos para a cidade, com responsabilidade. É para isso que a política serve e isso que nós queremos resgatar”, garante Gisele.
As mulheres também estão em maioria nos coletivos. Dois dos grupos são estruturados e compostos por professores, coordenadores pedagógicos e diretores de escolas públicas da cidade, que estão reunidos e trabalhando para avançar em pautas da educação. Um destes coletivos, com nove integrantes, terá como foco também trabalho e cidadania. O outro, com cinco covereadores, defenderá os avanços específicos para a Educação Infantil.
A terceira candidatura coletiva, também com cinco membros, é composta por profissionais liberais, da cultura e da arte, além de membros de movimentos sociais, com foco na juventude e no empreendedorismo.


Vereadoras de Canoas

Nos 81 anos da cidade de Canoas, a Câmara de Vereadores teve ao todo sete vereadores eleitas (contando as suplentes). A primeira foi Lina Plentz Alves ,em 1968, e foi reeleita por mais três mandatos. Na primeira eleição que Lina concorreu, ela se elegeu em 5° lugar.
Entre os 286 candidatos da última eleição, cerca de 100 eram mulheres. Atualmente a casa parlamentar canoense, conta com somente uma vereadora: Maria Eunice (PT). A parlamentar foi eleita com 2186 votos e ficou em 15°.
O desejo da vereadora vai além de uma reeleição “ Em 81 anos da câmara somente 5 mulheres. Ou seja, parece que a cada 16 anos entra uma mulher. Desejo que na próxima legislatura quebremos dois paradigmas, primeiro ser reeleita, e triplicarmos o número de mulheres – semelhante ao crescimentos das mulheres no congresso nacional na última eleição”, conclui Maria Eunice.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here