Olegar Lopes: “Os canoenses comemoram duas datas marcantes”


Olegar Lopes – Agenda Tradicionalista
Duas datas marcantes

Os canoenses comemoram duas datas marcantes para a cidade nesse ano de 2019: os 80 anos de emancipação política do município e os 100 anos da Paróquia São Luís Gonzaga. As igrejas são edificações que nascem e crescem juntas com as pequenas comunidades e com o passar dos anos se tornam marco do desenvolvimento econômico, cultural e espiritual. Com a cidade de Canoas e a Paróquia São Luís Gonzaga não foi diferente. Pelos números, 100 e 80 anos, não podemos dizer que uma chegou primeiro que a outra, a paróquia que completa 100 anos teve seu início na pequena igrejinha construída na beira da estrada Santos Ferreira que ligava a sede do município Gravataí ao distrito de Canoas. Distrito que, a partir da sua emancipação no ano de 1939, passou a ter sua vida política própria. A cidade de Canoas que completa 80 anos, assim como a paróquia, ambas têm a rua Santos Ferreira e a construção da via férrea Porto Alegre – Novo Hamburgo como marco gerador . Outro marco gerador da cidade e da paróquia foi a estrada Victor Barreto de Oliveira que ligava Porto Alegre – Canoas, inaugurada em novembro de 1909. Estrada onde poucos dias antes da inauguração (23/11/1909), os moradores de Canoas viram transitar o primeiro automóvel, guiado pelo Sr. José Bertaso que ficou sendo o iniciador do automobilismo na nova estrada Porto Alegre-Canoas. Fonte: Coluna Há um século no Correio do Povo, de  23/11/2009.

A diferença está na data da conquista de autonomia de cada uma. A Paróquia São Luís Gonzaga o ano de 1919 e Canoas o ano de 1939.

Para ilustrar o texto, conto fatos os quais tiveram minha participação. Da centenária paróquia são poucos os fatos: como morava no 2º Distrito, atual Nova Santa Rita, quando jovem frequentei algumas festas ou quermesses na década de 1950 – realizadas ao lado da igreja, no barranco como era conhecido o local – e algumas missas com as broncas do Cônego Leão. Da cidade, atestando seu crescimento na década de 1960, quando trabalhava com caminhão. Na época da safra do arroz eu transportava arroz colhido nas lavouras onde atualmente estão situados o residencial Cinco Colônias e também o Mato Grande, onde situa-se o Supermercado Viezzer. Ali existia o abatedouro do Jardelino, o arroz em sacas era armazenado num galpão antes de ser levado para o engenho, em Guaíba. Dois fatos simples, mas que dão a dimensão do crescimento da cidade octogenária e da paróquia centenária.                                            

CTG Brazão do Rio Grande

Na próxima segunda-feira, dia 17, o CTG Brazão do Rio Grande completa 54 anos da sua fundação, data que será comemorada domingo, 16, ao meio dia. Como de costume com o tradicional mocotó, prato da culinária campeira, em volta do qual gerou a fundação da entidade.