Canabarro Tróis filho: “Amigo meu dá prazo de 200 anos para Brasil entrar nos eixos”


Canabarro Tróis filho

A serpente no paraíso

Começaria desprezando a sedução da serpente, e perguntando por que não a banana em lugar da maça no Gênesis. Enfim, a banana é mais povão, mais democrática. Porém, acabei respeitando a nobreza da maça que entre símbolos é garantia da imortalidade, como afirma Nadia Julien em seu Dicionário dos Símbolos – Ed. Aideel Ltda. Acrescenta que Jung a considerava símbolo da vida. Na Irlanda, a maça assegurava a imortalidade. “Cortada em dois, ela revela uma estrela de cinco pontas, o pentagraça, símbolo das cinco estações do nascimento à morte e até o novo nascimento”.

“Pare, olhe, escute”, seja curioso (a) sobre o que pode haver no outro lado, no mundo invisível. Mas só entre nele depois de traduzir as palavras principais.

Bagagem

O senador gaúcho José Paulo Bisol “disse que juízes indicados para tribunais superiores (STF e STJ) se aposentam num dia no respectivo Estado e no dia seguinte assumem como ministros, para se beneficiarem, poucos anos depois, com duas aposentadorias nababescas”. (Jornal do Brasil, 8  de janeiro de 1994, pág. 2).

Quando membros de um poder que julga e aplica justiça agem como acusa o senador, quê esperar desta geração? Quem vai instalar uma CPI nacional, simultânea, abrangendo todos os órgãos públicos? Tenho um amigo que dá um prazo de 200 anos para que o Brasil, já governado por novos brasileiros, entre nos eixos. Quem duvidar diga por que”.