Comunidade escolar canoense pede adiamento do Enem

Diante das dificuldades de estudar à distância, obrigação imposta pela pandemia do novo coronavírus, se preparar para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) ficou ainda mais difícil. Mas apesar das inscrições aberta desde o começo da semana, alunos e professores de escolas públicas e privadas ainda têm esperança de que a prova seja adiada e são unânimes em afirmar que, mesmo com realidades bem distintas, a covid-19 vai prejudicar o processo de aprendizagem e também, o desempenho no exame.

Aulas remotas em escolas particulares e públicas

Com a suspensão das aulas há quase 60 dias, o Conselho Nacional de Educação autorizou que escolas e faculdades considerem atividades remotas no cumprimento da carga horária. O Ministério da Educação já havia suspendido a obrigatoriedade de 200 dias letivos requeridos em lei, mantendo a necessidade de 800 horas nos ensinos fundamental e médio.
Para a rede particular, a validação dos trabalhos em casa não deverá ser um problema. A imensa maioria — 97,4%, segundo o Sinepe-RS — adotou o uso de plataformas online e aplicativos. Nas escolas públicas, contudo, o desafio é maior.
Em vulnerabilidade social, parte dos alunos das redes municipais e estadual não têm acesso à internet. Por isso, cada professor tem usado seu próprio método – livros, cadernos, grupos de WhatsApp, páginas no Facebook e blogs –, enquanto a Secretaria da Educação do RS é cobrada para unificar processos.

Estudantes são unânimes pedindo o cancelamento
João Otávio é estudante do 3° do ensino médio da Escola Estadual Érico Veríssimo, e afirmou das dificuldades que é estudar em casa, por não ter acesso à internet. “ Penso que tem diversas matérias e dicas que os professores nós dariam em sala de aula. Estava me preparando na escola e com os meus colegas, agora não estamos mais fazendo os grupos de estudo que fazíamos no turno inverso. Estou dando um jeito e estudando bem menos que gostaria”, conclui o estudante.

Favorável ao adiamento do Enem, a jovem que pretende cursar Biologia, afirma que por estudar em uma escola em bairro nobre, as ferramentas de estudo são acessíveis a todos e mesmo os professores já atuam nelas, como o Google Classroom ou You Tube, mas pondera que “muitos alunos não têm acesso à internet e a um estudo de qualidade estando em casa. Não seria justo com esses que o Enem continuasse na mesma data”, sustenta.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here